O Eixo Monumental que fica em frente ao Palácio do Planalto precisou ser isolado após uma mala fechada ser encontrada no local, nesta quinta-feira à noite (26). O objeto estava próximo a um ponto de ônibus e causou temor nas pessoas. O Esquadrão Antibombas do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar precisou ser acionado para averiguar o conteúdo da mala. Um robô usado para essas missões encontrou apenas roupas dentro da mala.

Há dois dias, foi dado um alerta de bomba após bandidos explodirem caixas eletrônicos em um anexo do Palácio do Buriti. A polícia ainda não sabe se um caso tem a ver com o outro.

Durante essa explosão, os bandidos dispararam quatro tiros e fugiram em um carro, que depois foi abandonado e incendiado. A fuga deles aconteceu no estacionamento do Estádio Mané Garrincha.

No local da explosão desses caixas eletrônicos, ocorrido na terça (24), a polícia encontrou cápsulas de munição 5,56 mm. O Esquadrão Antibombas atuou para ver se alguma bomba pudesse ter sido deixada próximo ao incidente. Não foi informado quanto os bandidos conseguiram levar nesse roubo.

Enquanto isso, o presidente Michel Temer está na África do Sul participando de um encontro com o Brics, bloco formado pelos países: Brasil, Índia, Rússia, China e África do Sul. No lugar de Temer, comandando a Presidência da República, está a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia.

Vandalismo no STF

O salão branco do edifício sede do Supremo Tribunal Federal, em Brasília, foi alvo de vandalismo nesta terça-feira (24).

Manifestantes jogaram tinta vermelha no salão como protesto contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em nota divulgada, a Corte afirmou que a Secretaria de Segurança do tribunal tomará as medidas necessárias contra os vândalos. Imagens de câmeras estão sendo usadas e placas de veículos que pararam perto do local estão sendo analisadas. A Polícia Federal (PF) conduzirá as investigações [VIDEO].

O local onde ocorreu o vandalismo é a entrada principal dos ministros da Corte para se chegar às sessões do Plenário. Vale ressaltar que eles estão em recesso e só voltam no dia 31 de julho.

Revolta

Os manifestantes gritavam "Lula Livre" e pediam a liberdade do ex-presidente [VIDEO]. Eles estavam culpando o STF de não agir para a liberdade do líder do PT. A segurança foi reforçada no tribunal principalmente com a volta dos ministros do recesso.