A jurista e professora de Direito na Universidade de São Paulo (USP), Janaína Paschoal, que teve uma forte participação no impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, declarou em quem irá votar nas Eleições para presidente em 2018. Durante uma entrevista concedida para o canal de Rafael Zucco, no YouTube, na última quinta-feira (28), ao ser questionada em quem votaria nas próximas eleições, a jurista respondeu de forma decidida que seu voto é para o pré-candidato a presidente, Jair Bolsonaro (PSL).

Janaina fez questão de esclarecer que estava votando em Bolsonaro, não por ser uma admiradora fanática ou uma ativista, pois, segundo ela, esse tipo de comportamento acaba prejudicando o lado crítico de tal forma que não consegue enxergar os defeitos e falhas de seus líderes.

A advogada justificou seu voto em Bolsonaro porque acredita que ele pode fazer um processo de depuração no Congresso, ou seja renovar os ministros e deputados que são considerados corruptos. Segundo Janaina, há pessoas temendo que Bolsonaro seja eleito para presidente.

Durante a sua fala, a jurista ressaltou que é contra o endeusamento de figuras politicas e citou como exemplo a atitude dos eleitores petistas [VIDEO] com relação à admiração que têm pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO] da Silva (PT) e dos seguidores do juiz federal Sérgio Moro. Segundo a advogada, essas admirações exageradas podem trazer frustrações, pois eles são seres humanos e estão propícios a erros.

Jair Bolsonaro disse que se for eleito o STF terá 21 ministros

O pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse que vai aumentar o número de ministros no Supremo Tribunal Federal (STF) se eleito para presidente.

A proposta foi apresentada depois que a Segunda Turma do Supremo decidiu soltar condenados em segunda instância. Atualmente são 11 ministros e Bolsonaro quer aumentar para 21 o número de integrantes.

No entanto, a regra atual diz que o novo Presidente da República que tomará posse do cargo só poderá nomear mais dois ministros ao STF. Caso isso aconteça, os novos ministros iriam substituir Celso de Mello e Marco Aurélio de Mello, que alcançarão 75 anos até 2022 e terão de se aposentar compulsoriamente. Bolsonaro disse que pretende nomear cerca de dez magistrados semelhantes ao perfil de Sérgio Moro.

Bolsonaro não descarta Janaína Paschoal como sua vice

Depois de ter sido cogitada a ser vice do pré-candidato Jair Bolsonaro do (PSL), a jurista Janaína Paschoal disse que não tinha recebido nenhum convite oficial do partido.

A advogada disse que não havia se manifestado antes, porque ficou com receio de parecer pedante. Disse que segue filiada ao PSL, mas que não tem a intenção de concorrer a cargos políticos por enquanto.