Esta definitivamente não é a melhor semana do deputado federal e pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro. Após ninguém querer ser o seu vice e Janaína Pascoal [VIDEO], que ele deseja como componente de chapa, fazer um discurso contra a forma radical que o candidato deseja governar, chegou a vez de uma notícia amplamente divulgada nas redes sociais ligadas ao deputado ser desmentida.

Segunda a notícia, o Instituto Paraná Pesquisas teria realizado o resultado de uma pesquisa em que Bolsonaro fica em primeiro lugar na intenção de votos em 26 estados, mesmo com Lula como adversário, podendo vencer no primeiro turno.

O problema é que a pesquisa divulgada nas redes sociais e no site de ativismo político, O Detetive, nunca aconteceu.

A última pesquisa divulgada pelo Instituto data de 23 de julho e corresponde apenas a um grupo de pessoas do estado do Rio de Janeiro, mesmo estado que elege o deputado federal há trinta anos.

A Folha entrou em contato com o Paraná Pesquisas e os representantes do instituto afirmaram que as informações divulgadas por internautas e pelo site O Detetive são falsas e que se reserva o Direito de acionar judicialmente todos que estão usando o nome do instituto na proliferação de notícias falsas.

A assessoria de Bolsonaro ainda não comentou a polêmica, mas essa não é a primeira vez que os aliados do deputado acabam inventando notícias para angariar votos na internet.

Há algumas semanas o deputado foi hostilizado em um aeroporto por uma mulher e seus seguidores espalharam a notícia de que a cidadã em questão era a filha do ex-presidente Lula que estaria bêbada.

A notícia foi desmentida e a identidade da mulher não pôde ser identificada.

Bolsonaro conta notícias falsas para conquistar votos

O próprio candidato [VIDEO] também foi acusado de propagar informações falsas ao dar uma entrevista para O Globo e afirmar que é aprovado por 95% do setor do agronegócio do Brasil. Até o momento, nenhum instituto fez nenhuma pesquisa eleitoral envolvendo os empresários do agronegócio, de forma que nenhum presidenciável pode afirmar que é bem ou mal aceito pelo setor.

Bolsonaro também mentiu ao dizer que o adversário Geraldo Alckmin perde para ele em São Paulo em todos os cenários de todas as pesquisas. As pesquisas realizadas até o momento mostram que Bolsonaro e Alckmin seguem em empate técnico no estado de São Paulo, lembrando que pesquisas são meras especulações e as entrevistas são feitas com pequenos grupos de pessoas e não com os 44 milhões de habitantes do estado de São Paulo.

Na mesma entrevista ao O Globo, o deputado também distorceu informações sobre a Lei da Palmada, dizendo que a punição criada pela lei era o afastamento do lar dos pais que fossem reincidentes em agredirem os filhos, mas a previsão já estava presente no Estatuto da Criança e do Adolescente, de 1990, e não é uma sanção única, existindo outras.

Ele também afirmou que a lei da palmada é criação de Lula, quando na verdade foi apenas sancionada pelo ex-presidente após passar por aprovação na Câmara e no Senado.