O senador Renan Calheiros (MDB), integrante da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, visitou, nesta terça-feira (17), a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde o ex-presidente Lula cumpre pena [VIDEO], para realização de inspeção. Integram a comissão os senadores Jorge Viana (PT), Roberto Requião (MDB), Edison Lobão (MDB) e Armando Monteiro (PTB), além do próprio Renan Calheiros.

Após a inspeção, o senador visitou o líder do PT e manifestou apoio à sua candidatura. Ao final da inspeção, o senador Renan Calheiros disse aos repórteres que encontrou o ex-presidente "muito animado" e "convencido de que vai provar sua inocência".

O senador acrescentou que Lula é um preso político e que sua presença crescente nas pesquisas de intenção de votos é a certeza de que o povo brasileiro sabe que é isso o que está acontecendo. O senador afirmou que a decisão da prisão de Lula foi muita apressada.

Renan Calheiros disputará a reeleição ao Senado Federal pelo MDB e tem se consolidado como um dos grandes defensores do ex-presidente no Congresso Nacional. Desde o início do processo, que culminou na condenação e prisão de Lula, ele tem criticado de forma efusiva o procedimento adotado pelo Juiz Sérgio Moro, afirmando, inclusive, não haver provas suficientes contra o ex-presidente.

O candidato à reeleição ao Senado pelo Estado da Alagoas, afirmou que apóia a candidatura do ex-presidente Lula, porque acredita em sua inocência. Questionado se sua visita representa o apoio político dos senadores à candidatura de Lula, Renan respondeu que a visita representa a solidariedade de todos a Lula, pelo que ele representou e representa para o país.

Renan Calheiros se coloca contra decisão do MDB de lançar candidatura de Henrique Meirelles

Renan Calheiros aproveitou o momento para reiterar seu descontentamento com a decisão do seu partido em lançar a candidatura do ex-ministro [VIDEO] da fazenda Henrique Meirelles. Para o senador, o presidenciável não merece o apoio do partido, pois não é originário do MDB, e sim da JBS.

Renan fez sérias criticas ao presidenciável, afirmando que ele é o candidato do sistema financeiro e que não é o nome ideal para representar a história do partido. O senador ainda afirmou que Henrique Meirelles representa o "anti-candidato", pois vai contra as pessoas que querem fazer o certo pelo país.

Segundo o senador, o MDB não deve dar a legenda para um candidato que tem apenas 1% das intenções de votos, o que evidentemente irá dificultar o desempenho do partido em todos os estados. Renan ainda afirmou que seu filho, Renan Filho, governador bem avaliado do Estado de Alagoas, e que disputará a reeleição, pode ser prejudicado ao subir no palanque ao lado do candidato a presidente pelo partido, Henrique Meirelles.