O juiz federal Sérgio Moro admitiu incertezas com o resultado que virá nas próximas Eleições. O magistrado teme que o Brasil viva um retrocesso no combate à corrupção. Para ele, é necessário exemplo de lideranças políticas honestas e de medidas que possam diminuir as chances dos cofres públicos serem alvos dos corruptos.

Nesta quarta-feira (25), Moro participou de um evento do Estadão que buscou como tema a reconstrução do país. Neste fórum, também estavam presentes: Antonio Claudio Mariz de Oliveira, advogado de Michel Temer, e o promotor do Ministério Público de São Paulo, Marcelo Mendroni.

Publicidade
Publicidade

Após os discursos, várias perguntas foram feitas principalmente ao juiz da Lava Jato.

Sérgio Moro ressaltou que essas discussões sobre a corrupção que se espalhou no país é de grande importância nesse momento que antecede as eleições. Um dos graves problemas da sociedade brasileira é o dinheiro tirado da saúde, educação e outros serviços básicos e que vão para o bolso dos criminosos.

Segundo o magistrado, "a Justiça tem que funcionar". Moro declarou que os envolvidos em escândalos de corrupção devem ser punidos, porém, não é só isso. Ele falou que é necessárias reformas políticas que interrompam as oportunidades de corrupção.

Riscos à Lava Jato

O juiz afirmou que fica um pouco apreensivo diante do que pode acontecer com os julgamentos pendentes da Lava Jato. Ainda tem muito o que a operação avançar e há riscos de que isso seja impedido pelos políticos.

Na visão do paranaense, é preciso mudanças políticas gerais nas leis. Porém, uma coisa ele falou que não tem como escapar: sempre haverá riscos da corrupção se alastrar novamente se medidas não forem adotadas. Não importa se nesta eleição ou nas próximas.

Publicidade

Declarações de Ciro Gomes

Questionado pelos jornalistas, Moro preferiu não se manifestar sobre algumas declarações feitas pelo candidato à Presidência do Brasil, Ciro Gomes (PDT). Ciro falou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva só será solto se ele for eleito. Em entrevista a uma emissora do Maranhão, o pedetista também comentou que é preciso colocar um juiz novamente dentro de sua caixa junto com o Ministério Público e restaurar a autoridade do poder político.

Moro preferiu não polemizar e afirmou que não vê nenhum atrito entre juízes e os agentes políticos. Para ele, se um agente político cometeu crime, deve ser punido. "Eles têm que pagar pelos seus crimes", disse o juiz. Isso acontece com qualquer outro cidadão. O magistrado enfatizou que não existe nenhuma disputa fora desse nível.

Leia tudo