O pré-candidato a presidente da República Ciro Gomes (PDT), sofreu um novo revés nesta quarta-feira (1º), após ser anunciado um acordo eleitoral entre PT e PSB. Pelo que foi acertado entre as legendas, o Partido dos Trabalhadores irá retirar a candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco e em troca do PSB optará pela neutralidade na corrida presidencial, liberando seus diretórios estaduais a formarem alianças com candidatos do PT.

“Posso garantir que vamos optar pela neutralidade”, disse o deputado Júlio Delgado do PSB de Minas Gerais.

Publicidade
Publicidade

O PSB fará uma convenção no próximo dia 5, quando a neutralidade no pleito presidencial será oficializada.

O acordo entre PT e PSB frustra as intenções de Ciro em atrair o PSB para seu lado e agora contará com o apoio de poucos diretórios da legenda. Isso representa outro duro golpe para o pré-candidato, que recentemente perdeu o apoio do Centrão, que optou em apoiar o tucano Geraldo Alckmin.

Além disso, o candidato do PSB e atual governador de São Paulo, Márcio França, ficará liberado a também apoiar o tucano o pré-candidato do PSDB na corrida ao Palácio do Planalto.

Publicidade

Lacerda pode ficar sem partido

Não foi apenas Ciro Gomes quem saiu prejudicado com a aliança entre PT e PSB. Pré-candidato ao governo de Minas Gerais, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), deverá ter sua candidatura retirada pelo partido para atender a uma exigência do PT, cujo seu candidato, o atual governador Fernando Pimentel, concorre à reeleição. No entanto não será tarefa fácil convencê-lo a desistir da candidatura ao Palácio da Liberdade.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
PT

Nesta terça-feira (31), por meio de uma postagem no Twitter, o pré-candidato rechaçou qualquer possibilidade de concorrer a outro cargo nas eleições de outubro. “Eu sou candidato ao Governo de Minas Gerais”, escreveu Lacerda, descartando a hipótese de ser candidato a vice-presidente. “Essa é a nossa decisão final”, cravou. Cogita-se oferecer a ele a candidatura a uma vaga ao senado federal na mesma chapa do PT.

Segundo pesquisa feita pelo CNT / MDA, o ex-prefeito da capital mineira ocupa apenas o terceiro lugar nas intenções de votos ao governo do estado.

Ele possui apenas 9,7% das intenções de voto, contra 21,5% do senador Antonio Anastasia (PSDB), e 13,3% de Fernando Pimentel. Ainda de acordo com a pesquisa, os eleitores que declararam votos em branco ou nulo soma 28,1%, enquanto que 19,7% ainda estão indecisos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo