O pré-candidato a presidente da República Ciro Gomes (PDT), sofreu um novo revés nesta quarta-feira (1º), após ser anunciado um acordo eleitoral entre PT e PSB. Pelo que foi acertado entre as legendas, o Partido dos Trabalhadores irá retirar a candidatura de Marília Arraes ao governo de Pernambuco e em troca do PSB optará pela neutralidade na corrida presidencial, liberando seus diretórios estaduais a formarem alianças com candidatos do PT.

“Posso garantir que vamos optar pela neutralidade”, disse o deputado Júlio Delgado do PSB de Minas Gerais.

O PSB fará uma convenção no próximo dia 5, quando a neutralidade no pleito presidencial será oficializada.

O acordo entre PT e PSB frustra as intenções de Ciro em atrair o PSB para seu lado e agora contará com o apoio de poucos diretórios da legenda. Isso representa outro duro golpe para o pré-candidato, que recentemente perdeu o apoio do Centrão, que optou em apoiar o tucano Geraldo Alckmin.

Além disso, o candidato do PSB e atual governador de São Paulo, Márcio França, ficará liberado a também apoiar o tucano o pré-candidato do PSDB na corrida ao Palácio do Planalto.

Lacerda pode ficar sem partido

Não foi apenas Ciro Gomes quem saiu prejudicado com a aliança entre PT e PSB. Pré-candidato ao governo de Minas Gerais, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), deverá ter sua candidatura retirada pelo partido para atender a uma exigência do PT, cujo seu candidato, o atual governador Fernando Pimentel, concorre à reeleição. No entanto não será tarefa fácil convencê-lo a desistir da candidatura ao Palácio da Liberdade.

Nesta terça-feira (31), por meio de uma postagem no Twitter, o pré-candidato rechaçou qualquer possibilidade de concorrer a outro cargo nas eleições de outubro. “Eu sou candidato ao Governo de Minas Gerais”, escreveu Lacerda, descartando a hipótese de ser candidato a vice-presidente. “Essa é a nossa decisão final”, cravou. Cogita-se oferecer a ele a candidatura a uma vaga ao senado federal na mesma chapa do PT.

Segundo pesquisa feita pelo CNT / MDA, o ex-prefeito da capital mineira ocupa apenas o terceiro lugar nas intenções de votos ao governo do estado. Ele possui apenas 9,7% das intenções de voto, contra 21,5% do senador Antonio Anastasia (PSDB), e 13,3% de Fernando Pimentel. Ainda de acordo com a pesquisa, os eleitores que declararam votos em branco ou nulo soma 28,1%, enquanto que 19,7% ainda estão indecisos.

Siga a página PT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!