Depois de disputar o segundo turno da eleição presidencial de 2014 com a ex-presidente Dilma Rousseff, onde recebeu 51 milhões de votos, Aécio Neves (PSDB) tem pretensões mais modestas para o pleito do próximo mês de outubro. Réu no Supremo Tribunal Federal (STF) o senador decidiu disputar uma vaga de deputado federal. O anúncio foi feito por ele neta quinta-feira (2).

Abrindo mão da candidatura a esse cargo, curiosamente ele deixa de voltar a confrontar Dilma, que concorrerá a uma vaga ao Sendo exatamente por Minas.

Nas Eleições de outubro, cada estado elegerá dois senadores para um mandato de oito anos.

Em nota, o senador justificou a decisão afirmando que irá ampliar o campo de apoio ao senador Antonio Anastasia, líder nas pesquisas eleitorais para o governo de Minas Gerais. No texto, ele diz ainda que a decisão de não concorrer ao senado, mesmo sendo um dos candidatos à disputa melhor avaliado, não foi fácil, porém, a decisão foi tomada com a responsabilidade de quem coloca os interesses de Minas Gerais acima dos pessoais.

Ele finalizou dizendo que continuará sua caminhada com o mesmo entusiasmo e determinação e movido pelo amor a Minas e aos mineiros.

A decisão do ex-presidenciável abre espaço para a candidatura de Rodrigo Pacheco (DEM) ao senado na chapa de Anastasia. O democrata também tinha pretensão de lançar candidatura ao governo do estado, mas teve que recuar por conta de um acordo nacional de seu partido com o PSDB.

Nos últimos meses, Aécio se mostrava indeciso se concorreria novamente a uma vaga no sendo, se tentaria ingressar na Câmara dos Deputados ou até mesmo não disputar cargo algum. Especialistas analisam que o tucano optou por caminho mais seguro para se manter na vida pública.O candidato ao governo de Minas, Antonio Anastasia, também emitiu uma nota, na qual elogiou a postura de Aécio e é uma prova de seu senso de responsabilidade com Minas Gerais.

Réu no STF

Aécio Neves foi um dos políticos citados na delação premiada feita pelo empresário Joesley Batista, que acusou o senador de ter recebido propina 2 milhões de reais em dinheiro. Por conta da acusação, Aécio se tornou réu no Supremo Tribunal Federal, onde responde pelos crimes de obstrução de Justiça e corrupção passiva. Ele chegou a ser afastado, mas o Plenário do Senado lhe reconduziu ao cargo.

Na mesma nota em que confirmou sua candidatura à Câmara dos Deputados, Aécio voltou a se defender das acusações. O senador disse ainda que foi vítima de “ataques violentos e covardes” e que provará a correção de seus atos.

Ele disse ainda que as “falsas versões” sobre ele “engolem os fatos”.

Não perca a nossa página no Facebook!