A participação do presidenciável Jair Bolsonaro no programa da TV Cultura Roda Viva, na segunda-feira, dia 30 de julho de 2018, rendeu muita audiência ao canal e milhares de visualizações e compartilhamento da live do programa nas redes sociais. E acabou sendo o assunto mais discutido e mencionado na rede social do Twitter.

Segundo informa a imprensa, os aliados políticos de Bolsonaro comemoraram a repercussão da entrevista, apesar de terem feito duras críticas ao desempenho dos entrevistadores e do nível das perguntas.

Inclusive, vários vídeos de "reação" e de análise crítica dos seguidores fiéis de Bolsonaro proliferaram no Youtube e no Facebook, a grande maioria coloca em dúvida, principalmente, a qualidade do programa.

Conforme informou a imprensa, os aliados acharam um "desserviço" a entrevista, pois explorou pouco o programa de Governo e as ideias políticas do candidato e elaboraram mais perguntas relacionadas a temas batidos, históricos e polêmicos. E foram exatamente as respostas de Bolsonaro sobre diversos assuntos questionados na entrevista do Roda Viva que renderam muitos comentários e posts no Twitter.

Análise da repercussão da entrevista, segundo o InternetLab

O jornal O Globo publicou a análise feita pelo centro de pesquisa InternetLab sobre as publicações no Twitter referentes à entrevista de Bolsonaro ao Roda Viva. Conforme o centro de pesquisa, 35,1% das publicações foram menções e manifestações contrárias às ideias explanadas por Bolsonaro no programa. O Centro também identificou que 32,8% foram publicações favoráveis a Bolsonaro. Houve a identificação também de 28,6% de publicações sem relação direta e partidária a um dos dois blocos: contra ou a favor.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Governo

o InternetLab destacou que dentre as publicações negativas em relação as declarações de Bolsonaro, os temas mais abordados foram sobre cotas para negros em Universidades e concursos públicos, e escravidão. Boslonaro é enfático em não defender a implementação de cotas raciais e sublinhou compromisso em melhorar a educação básica para permitir que todos tenham condições educacionais equânimes para concorrer a seleções diversas. Questionado se acabaria com o programa de cotas, disse que pretende reduzir.

Bolsonaro também polemizou ao fazer referência ao processo histórico da escravidão colonial portuguesa do século XVI/XVIII, afirmando que a ideia de dívida social da escravidão" não é fundamento válido para defender o uso de cotas.

Análise da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (DAPP-FGV)

Segundo a DAPP/FGV, em 12h após a entrevista de Bolsonaro no Roda Viva foram contabilizadas mais de 700 mil publicações no Twitter (valor absoluto divulgado pela imprensa: 717.308).

Na análise de conteúdo, conforme a DAPP/FGV, houve a identificação de 54,2% de discussão contra o Bolsonaro e 26% foram favoráveis ao discurso dele.

Apesar de não ter tido uma unanimidade favorável nas redes sociais, Bolsonaro, lançado à campanha ao Planalto pelo PSL, pretende investir nas redes sociais como meio para propagação do seu programa de governo e ideias políticas, já que o candidato, líder nas pesquisas de opinião de voto, não conseguiu alianças e terá de 8 a 12 segundos de tempo de televisão na propaganda eleitoral.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo