Após ter dado razão a Janaína Paschoal em entrevista à Agência Estado na quinta-feira (26), o general Mourão manteve sua opinião sobre [VIDEO] a advogada, porém desta vez minimizou aquilo que chamou de radicalismo meio "boçal" da parte de alguns eleitores do presidenciável [VIDEO] Jair Bolsonaro. A minimização do general Mourão se deu logo na manhã desta terça-feira (31), quando sua fala foi sondada pelo Estadão, que cogitou uma possível volta do mesmo para ser [VIDEO] vice de Jair Bolsonaro, já que nada de concreto entre Janaína e Bolsonaro tenha sido resolvido devido, ao que se sabe, questões familiares da advogada, que ficou conhecida pelo impeachment de Dilma em 2016.

Na terça (31), o general Mourão minimizou a crítica que fez ao radicalismo de alguns eleitores de Bolsonaro. Retratando-se, disse que os "radicais extremistas" não são bons para a campanha. Sobre isso, Mourão explicou que a pretensão é superar a era do PT (Partido dos Trabalhadores) e não se comportar da mesma forma que eles, Hamilton Mourão ainda completou que é contra aqueles que usam de agressão nas manifestações, afetando o direto de ir e vir, o general ressaltou que isso não é democrático.

General Mourão concorda com Bolsonaro, mas pormenoriza tons em assuntos polêmicos e cita foco em assuntos urgentes

Mourão disse ainda concordar com o conteúdo das propostas do parlamentar, mas criticou a forma como certos assuntos são tratados por ele, como, por exemplo, assuntos polêmicos, o que dá a entender que tais temas deveriam ser pormenorizados dado o fato de que são questões a uma parcela da população e não ao todo dela.

Em contrapartida, para o general Mourão, a maioria da população está interessada em emprego, o restabelecimento da economia e a reforma política.

Sem resposta oficial de Janaína, Mourão é possível vice

Segundo o Estadão, o general disse ao jornal que os dirigentes do PSL (Partido Social Liberal) se reuniram com Levy Fidelix (PRTB) para tratativas de uma possível candidatura entre Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro. Já que Mourão é filiado ao PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), obviamente depende da aprovação de Fidelix para tal. Nesta fala ao jornal, o general demonstrou ter vontade que a aliança entre os partidos fosse firmada, mas isso depende também das questões de cada partido para que venham se consolidar entre si.

Sem uma resposta oficial de Janaína Paschoal (apesar de conversas) para ser vice de Jair Bolsonaro na corrida presidencial, Mourão é cotado, mas isso só depende da decisão de Fidelix com o PSL.