O candidato à Presidência da República, deputado Jair Bolsonaro (PSL), fez duras críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta terça-feira (28), em visita à Central de Abastecimento do Rio (Ceasa), em Irajá. O deputado mostrou indignação com o julgamento que ele terá na Corte sobre acusação de crime de racismo e mandou o que chamou de "recado" aos magistrados do STF. Ele pediu para que o artigo 53 da Constituição seja respeitado, onde é dito que senadores e deputados são invioláveis, civil e penalmente.

Publicidade
Publicidade

Conforme palavras do candidato, ele reiterou que estava enviando um recado aos ministros. Primeiramente, Bolsonaro pediu que o artigo 53 da Constituição fosse respeitado e ressaltou que o STF não deve fazer leis. De acordo com o ex-capitão, a legalização do aborto, por exemplo, não é uma questão atribuída à Corte, mas mesmo assim, eles querem tomar a frente de tudo. Ele afirmou que respeita o STF, mas exige que Corte respeite também o povo brasileiro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Um outro ponto destacado pelo candidato tem relação com a religião dos ministros. Segundo ele, não há nenhum ministro que se diz católico ou evangélico e isso, atribuiu ao fato, por ter sido indicados pelo PT. Bolsonaro afirmou que o PT colocou gente lá dentro que possui ligação com os interesses do partido. Foram oito indicações petistas e nenhum deles representam os 90% de cristãos que tem no Brasil, na concepção do candidato.

Prisão em segunda instância

Jair Bolsonaro também criticou uma tentativa de mudar a jurisprudência do STF sobre a prisão após a condenação em segunda instância.

Publicidade

Para ele, uma possível manobra dos ministros alterando esse assunto seria colocar "todo mundo pra fora". Seria um tipo de estímulo à corrupção, declarou o deputado.

Questionado sobre como seria a sua proposta para a Corte Suprema, o deputado afirmou que deveria haver um equilíbrio nas indicações e negou que defenderia a entrada no STF por concurso. Ele falou que se for eleito vai levar para o STF ministros que possam confrontar com os que já estão há mais tempo, para que se busque um equilíbrio.

Sérgio Moro

O candidato falou que o Judiciário está sendo mal visto pelas pessoas o que gera muita tristeza. Ele espera que isso tudo mude e que a Corte volte a ser referência e exemplo para o povo. De acordo com Bolsonaro, hoje, aquele que trabalha corretamente acaba sendo idolatrado. Ele citou como exemplo o juiz federal Sérgio Moro.."Olha o Sérgio Moro, que faz a coisa certa é idolatrado".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo