Neste sábado (18), em uma cerimônia da Academia Militar das Agulhas Negras, a AMAN, em Resende no Rio de Janeiro o candidato à Presidência Jair Bolsonaro do PSL (Partido Social Liberal) reafirmou o posicionamento que terá em relação à ONU (Organização das Nações Unidas). Sem 'papas na língua' o capitão foi sincero ao ser questionado pela Folha sobre a frágil decisão da ONU pela candidatura de Lula, Jair Bolsonaro afirmou ao jornal que sairá fora, entrelinhas deixou claro que a mesma não serva para nada e que ela é um local de reunião de comunistas, de quem não tem compromisso com a América do Sul.

Em 21 de junho ao UOL (Universo Online), o então pré-candidato já tinha deixado bem clara qual era a sua opinião sobre o assunto, o que não causou nenhuma surpresa para aqueles que o conhecem há tempos, o efeito também é ao contrário para aqueles que não o conheceram, em tempo necessário como político.

Com isso, Bolsonaro tende a fazer o mesmo que Donald Trump nos EUA (Estados Unidos da América). Para ele, Trump até 'demorou' para deixar a ONU. Veja abaixo a referida entrevista concedida em junho, ao UOL. [Vídeo]

A interrupção de Marina Silva no debate e a 'tática' na mão da Jair Bolsonaro

Aos jornalistas presentes, o candidato também relembrou a interrupção causada pela candidata Marina Silva no debate da Rede TV!

nesta sexta-feira (17), [Vídeo].

Na tentativa de ganhar no argumento, Marina aumentou o tom de voz, logo após ser questionada por Bolsonaro sobre o plebicito para aborto, além da questão da liberação da maconha,agota d'água para a candidata deva ter sido o fato da mesma ser evangélica.

O capitão por sua vez não interrompeu Marina, mas após ouvir as declarações da mesma, conclui: "Leia o livro de Paulo" disse, em suas cartas, o apóstolo Paulo separa bem a milícia tanto da carne: as armas reais, quanto do espírito, as armas espirituais.

Acalorado, o debate entre o capitão e a presidente do partido Rede, também chamou a atenção pelo fato de Bolsonaro ter olhado para a própria mão antes do enfrentamento com a candidata à Presidência, questionado, o candidato afirmou que isso era uma tática que funcionou, o mesmo afirmou que ficou feliz que sua mão apareceu nos jornais do país, escritos respectivamente:

  • Pesquisa;
  • Armas;
  • Lula;

PGR não soube distinguir o tom jocoso

Ano passado (2017), a Procuradora-Geral da República (Raquel Dodge) abriu um processo contra o capitão com relação à suas declarações, em que, por ocasião de uma reunião, citou o peso de um quilambola, disse que o mesmo pesava em arrobas.

A PGR por sua vez na época não pareceu distinguir o tom jocoso e levou o assunto a sério.

Dodge também estava no evento da AMAN, mas segundo as informações dispostas, os dois não se falaram, questionado, Jair Bolsonaro disse ainda não ter tido o prazer de apertar sua mão.

Com relação ao processo, o capitão declarou que a PGR nunca tinha ido num quilombo e até que não sabia o que era uma reserva indígena, para ele, por conta disso, a mesma tenha sido levada por uma onda de esquerda, o conhecido politicamente correto.

Não perca a nossa página no Facebook!