Após o debate da Rede TV, que aconteceu nesta sexta-feira (17), o presidenciável do PSL (Partido Social Liberal), Jair Bolsonaro, foi indagado sobre o escrito na sua mão por um jornalista da Folha de S. Paulo. Segundo as informações do site Último Segundo, o candidato teria se irritado e dito que ao repórter deveria “plantar batatas”. É conhecido, em muitos meios de comunicação, que Bolsonaro acusa a Folha de S. Paulo de perseguir sua candidatura, por motivos ideológicos não comprovados.

Publicidade
Publicidade

Segundo o presidenciável, qual seria o “problema” dos escritos e pergunta se o repórter queria saber mais e até perguntou se ele queria saber a cor da sua roupa intima. Após essas indagações, mandou o jornalista plantar batatas e foi embora.

O motivo da “cola”

Segundo consta, as inscrições “Lula”, que o próprio Bolsonaro mostrou durante o decorrer do debate, se trata de uma lembrança para o presidenciável agradecer a direção da emissora por aceitar a retirada do estúdio o púlpito vazio.

Esse púlpito estava reservado para o ex-presidente petista, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que se encontra preso em Curitiba (PR). Segundo Bolsonaro, não é admissível dar espaço ao que ele chama de “bandido”, que foi condenado por atos de corrupção.

Já os tópicos “pesquisa” e também “armas”, o capitão da reserva, não conseguiu fazer um desenvolvimento naquilo que esperava desenvolver. Isso porque a candidata, Marina Silva (Rede) foi categórica em rechaçar muito rápido quanto a ideia da autorização ao armamento. Marina partiu para outro tema dando assim o início de uma outra discussão mais acalorada no debate.

Publicidade

Marina enfrenta Bolsonaro

Marina Silva começa dizendo que Bolsonaro afirmou que a questão dos salários menores para as mulheres é uma coisa que não vale a pena se preocupar, porque já era uma norma colocada na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Contínua, a candidata da REDE salientou que só pessoas que não sabem o que significa uma mulher um salário bem menor, tendo as mesmas capacidades, tendo as mesmas competências ser a primeira a ser demitida fala algo daquele tom.

Em réplica, Bolsonaro rebateu dizendo que ali estaria uma evangélica que defende um plebiscito para o aborto e para a maconha. Continua o presidenciável, que a candidata, agora, quer partir em defesa da mulher. Porém, segundo Bolsonaro, ela não sabe o que seria uma mulher que teria um filho jogado no mundo das drogas.

Marina, na sua tréplica, disse que Bolsonaro quer ganhar tudo no grito e na violência, mas as mulheres são mães, educam os filhos.

Publicidade

Continua, que as mães mais desejam é ver os filhos educados para serem cidadãos respeitados.

Leia tudo