Foi anunciado na manhã desse sábado, 04 de agosto de 2018, que Janaína Paschoal não aceitou encabeçar a candidatura de vice na campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL) [VIDEO]. Ela era o nome mais cotado para assumir a vaga. O anúncio foi feita pela advogada e professora de Direito da USP em sua conta no Twitter (@JanainaDoBrasil). Janaína alegou que motivos familiares pesaram em sua decisão final. Segundo ela, não pode mudar-se para Brasília em um eventual mandato de Vice-Presidente, pois sua família não iria com ela a Capital Federal.

Conforme a nota, a decisão foi conversada e comunicada com Jair Bolsonaro e o presidente em exercício do Partido Social Liberal (PSL), Gustavo Bebianno [VIDEO].

Veja abaixo:

Janaína Paschoal continuará lutando por um país livre

Janaína em outra publicação disse que independentemente da recusa ao convite vai continuar a luta por um país mais livre. E ressaltou, principalmente, sua luta por um país de "mentes livres". Ela ainda enfatizou que essa é a sua permanente, é uma luta de vida, na qual ela nasceu para isso. O tom usado foi de desculpas ao Brasil. Enfatizou que com ou sem cargo, sua luta continuará.

Veja abaixo:

Bolsonaro não é machista e nem autoritário, diz Janaína Paschoal

Em uma terceira publicação em seu Twitter, Janaína Paschoal afirmou que Bolsonaro não é machista.

Segundo ela, Bolsonaro a tratou de igual para igual em todos os momentos, não revelando nenhum tratamento preconceituoso e de cunho machista.

Disse, ainda, que o presidenciável pelo PSL não é autoritário, pois cedeu em vários pontos, demonstrando um grau de flexibilidade em prol do seu programa político e ideais. Janaína destacou que ficou nítido para todos que o presidenciável teve tolerância com as posições políticas dela.

Jair Bolsonaro é muito criticado pelos adversários por ser um candidato que aparenta ter ideias preconceituosas relativas, principalmente, a mulheres, homossexuais e negros. Todavia, o candidato sempre explica que não há fundamentos nessas acusações e que em grande parte das situações em que diz algo que gera polêmica para terceiros, ele estava apenas brincando. Já reconheceu em diversos momentos que excedeu na fala.

Outra opção de vice: um príncipe

Na sabatina promovida pelo canal GloboNews, na última sexta-feira, dia 03 de agosto de 2018, Bolsonaro disse, ao ser indagado sobre o seu vice, que ainda estava conversando com Janaína Paschoal e aguardava o parecer da advogada.

Bolsonaro, contudo, destacou que ela estava com questões familiares que podiam interferir na decisão.

Indagado sobre uma segunda opção, caso Janaína não pudesse aceitar, Bolsonaro disse que não há preferências, mas já pensou como Plano B, a possível candidatura do príncipe Luiz Philippe Orleans e Bragança.

Por enquanto ainda nenhum ato oficial foi comunicado a respeito da escolha, após a recusa de Janaína Paschoal.