O jurista, procurador e um dos coordenadores da Operação Lava Jato [VIDEO] da PF, Deltan Dellagnol cumpriu pelo menos dois compromissos nesta quinta-feira (2). Pela manhã, concedeu uma entrevista exclusiva à rádio Jovem Pan no Jornal da Manhã e na parte da noite participou de um evento promovido pela Confederação Nacional das Cooperativas Médicas, a Unimed. Tanto em entrevista à rádio, como no evento, o integrante da força-tarefa da Lava Jato demonstrou preocupação e zelo com relação a Operação [VIDEO], que visa combater a corrupção política no país, dado o tom que utilizou em sua falas. Deltan Dellagnol pediu atenção por parte dos eleitores alertando a população nesta época de pré e pós Eleições.

Na rádio, o procurador mostrou-se não só preocupado com o andamento e manutenção da Operação Lava Jato como também com o MP (Ministério Público). Dallagnol esclareceu que, logo após que a poeira baixou, leis foram aprovadas para gerar impunidade, inclusive, segundo ele, tais foram propostas para indultar crimes. Ou seja, para conceder privilégios a por exemplo, já condenados. O jurista acredita que o mesmo pode ocorrer após estas eleições, tais consequências no entanto, podem ser evitadas pelo exercício da cidadania [VIDEO].

Deltan Dellagnol destaca união de entidades e a cidadania no combate à corrupção

Para que a população possa dar prosseguimento ao processo e legitimidade da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dellagnol destacou o poder da influência da cidadania, nesse aspecto, o procurador citou também a reunião de entidades, onde as mesmas se unem nesse sentido, como na campanha ‘Unidos Contra a Corrupção’.

A deia da campanha não visa buscar propor "ideologias" partidárias, mas sim o combate à corrupção no país, o que seria parte do induto distante da Operação da PF (Polícia Federal), como uma espécie de apoio, algo, como um ato de conscientização coletiva da sociedade, daí a afirmação do procurador.

"O povo é que deve proteger a Lava Jato", diz Dellagnol nas entrelinhas

Logo a noite desta quinta-feira (2), o jurista da força-tarefa foi ainda mais longe no que respeita à Operação, com um discurso ainda mais direto, dado a questão do próprio ser a atração principal do evento, Deltan Dellagnol 'passou' a responsabilidade ao povo, para ele, a população deve eleger políticos com um passado limpo.

Em discurso que lotou o teatro Bourbon Country na capital do Rio Grande do Sul (Porto Alegre), o procurador ainda desmistificou o mito de que todo político é corrupto, devolvendo de novo a responsabilidade do povo nos votos e seu papel na democracia e no combate à corrupção.