Os eleitores de Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT, costumam dizer que o ex-governador do Ceará e ex-parlamentar é o mais preparado para o cargo de mandatário máximo da nação por conta da vasta experiência na política.

O que poucos sabem é que Ciro Gomes foi um deputado federal pouco efetivo enquanto esteve no Congresso Nacional, entre 2007 e 2011. À época, Ciro Gomes fazia parte do PSB. No período em que esteve na Câmara, ele não apresentou nenhum projeto de lei ou proposta de emenda constitucional (PEC).

Publicidade
Publicidade

Para piorar a situação de Ciro, ele faltou a quase metade das sessões em plenário e ignorou as reunições das comissões. O histórico do ex-deputado federal fica ainda pior quando se fala no escândalo da farra das passagens.

O esquema foi revelado pelo site Congresso em Foco. Ciro foi associado duas vezes ao uso irregular de verba pública para custear voos dos parlamentares, amigos e familiares. As viagens aconteciam dentro do Brasil e também no exterior.

Baixa participação

Os números são bastante desfavoráveis a Crio Gomes na Câmara dos Deputados. Ele compareceu a 224 sessões, 54,4% do total. Nas demais, ele falou. Cento e quarenta e sete ausências foram justificadas. Quarenta e uma ficaram sem qualquer esclarecimento.

O candidato à presidência também integrou comissões enquanto foi deputado e as faltas também foram sua maior marca. Ele não compareceu a 68,9% das reuniões da Constituição e Justiça (CCJ).

Publicidade

Eleições 2018

Ciro Gomes é o candidato do PDT na corrida presidencial de 2018, mas ainda não recebeu o apoio de toda a esquerda. Para muitos analistas, o PT deveria apoiá-lo, diante da inelegibilidade de Lula, condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e cumprindo pena na sede da Polícia Federal em Curitiba.

O PT mantém Lula e, caso o ex-presidente não possa concorrer, deve apostar em outro nome.

Isso enfraquece Ciro Gomes, que poderia estar mais forte na disputa se recebesse o apoio do partido que governou o Brasil entre 2003 e 2016.

Até o momento, as pesquisas apontam que Ciro Gomes oscila. No levantamento realizado pelo Paraná Pesquisas, ele ocupa a terceira posição, atrás de Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede). Na pesquisa do DataPoder360, Ciro é o segundo colocado, atrás de Bolsonaro.

A esperança de seus seguidores é que ele permaneça na segunda posição e garanta uma vaga no segundo turno.

Publicidade

Em uma provável disputa contra Bolsonaro, Ciro poderia receber o apoio de Geraldo Alckmin (PSDB) e até mesmo de Marina Silva.

Leia tudo