Os eleitores de Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT, costumam dizer que o ex-governador do Ceará e ex-parlamentar é o mais preparado para o cargo de mandatário máximo da nação por conta da vasta experiência na política.

O que poucos sabem é que Ciro Gomes foi um deputado federal pouco efetivo enquanto esteve no Congresso Nacional, entre 2007 e 2011. À época, Ciro Gomes fazia parte do PSB.

No período em que esteve na Câmara, ele não apresentou nenhum projeto de lei ou proposta de emenda constitucional (PEC).

Para piorar a situação de Ciro, ele faltou a quase metade das sessões em plenário e ignorou as reunições das comissões. O histórico do ex-deputado federal fica ainda pior quando se fala no escândalo da farra das passagens.

O esquema foi revelado pelo site Congresso em Foco. Ciro foi associado duas vezes ao uso irregular de verba pública para custear voos dos parlamentares, amigos e familiares. As viagens aconteciam dentro do Brasil e também no exterior.

Baixa participação

Os números são bastante desfavoráveis a Crio Gomes na Câmara dos Deputados. Ele compareceu a 224 sessões, 54,4% do total. Nas demais, ele falou. Cento e quarenta e sete ausências foram justificadas. Quarenta e uma ficaram sem qualquer esclarecimento.

O candidato à presidência também integrou comissões enquanto foi deputado e as faltas também foram sua maior marca. Ele não compareceu a 68,9% das reuniões da Constituição e Justiça (CCJ).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Eleições 2018

Ciro Gomes é o candidato do PDT na corrida presidencial de 2018, mas ainda não recebeu o apoio de toda a esquerda. Para muitos analistas, o PT deveria apoiá-lo, diante da inelegibilidade de Lula, condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e cumprindo pena na sede da Polícia Federal em Curitiba.

O PT mantém Lula e, caso o ex-presidente não possa concorrer, deve apostar em outro nome.

Isso enfraquece Ciro Gomes, que poderia estar mais forte na disputa se recebesse o apoio do partido que governou o Brasil entre 2003 e 2016.

Até o momento, as pesquisas apontam que Ciro Gomes oscila. No levantamento realizado pelo Paraná Pesquisas, ele ocupa a terceira posição, atrás de Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede). Na pesquisa do DataPoder360, Ciro é o segundo colocado, atrás de Bolsonaro.

A esperança de seus seguidores é que ele permaneça na segunda posição e garanta uma vaga no segundo turno. Em uma provável disputa contra Bolsonaro, Ciro poderia receber o apoio de Geraldo Alckmin (PSDB) e até mesmo de Marina Silva.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo