Uma sessão extraordinária foi marcada para esta sexta-feira (31) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que seja feita uma análise sobre todos os pontos que envolvem o registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Será discutida a sua participação nas propagandas do horário eleitoral na TV e no rádio,que terá início neste sábado (01).

Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, condenado pela Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do triplex de Guarujá.

Publicidade
Publicidade

A sua candidatura foi alvo de 16 contestações, todas baseadas na Lei da Ficha Limpa. O Partido Novo, que tem como candidato à Presidência do Brasil, João Amoêdo, é responsável por uma dessas contestações e pede que o tribunal impeça Lula de concorrer nessas próximas Eleições.

Sabendo da situação delicada do petista, os membros do partido já preparam o plano B, que seria colocar o Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, no lugar de Lula. Entretanto, isso só será possível mediante uma aceitação do ex-presidente.

A última palavra, no caso, será a dele. Os advogados do ex-presidente querem evitar quo TSE barre qualquer participação do PT nas campanhas eleitorais, já que pode ser averiguado que o partido está causando um tipo de bagunça eleitoral.

Luiz Fernando Casagrande Pereira, representante do PT no TSE, afirmou que seria lamentável se o tribunal impedisse que o PT participasse da campanha eleitoral. Ele citou como exemplo a Eleição de 2014, onde faleceu Eduardo Campos, e o PSB usou o horário de TV mesmo antes de Marina ser confirmada como candidata, na época.

Publicidade

Relator Barroso

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator no TSE do caso Lula, Luis Roberto Barroso, poderá aproveitar a sessão de amanhã para julgar todos os outros recursos pendentes do registro do petista. Segundo as informações, caso seja indeferido a candidatura do ex-presidente, sua defesa entrará com uma nova tentativa no STF.

Vale ressaltar que, nesta quinta-feira (30), é o último dia para a defesa de Lula entregar as suas indagações e respostas contra as acusações ao seu cliente.

A definição da pauta e o andamento da sessão extraordinária ficará nas mãos da ministra Rosa Weber, presidente do TSE.

Outras pendências

Além de Lula, outras candidaturas ainda estão pendentes no tribunal: Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro e José Maria Eymael. O tucano e o ex-capitão também foram alvos de contestações.

Leia tudo