O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, deixou na manhã deste sábado (29), o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde estava internado desde o dia 7, se recuperando da facada sofrida em Juiz de Fora, em Minas Gerais, enquanto participava de um ato de campanha. O presidenciável do PSL deixou recebeu alta por volta das 10 horas.

O presidente da legenda, Gustavo Bebbiano, afirmou que o ex-capitão do Exército está “plenamente recuperado”, o que surpreendeu os médicos.

No entanto, o candidato está impedido de fazer campanhas nas ruas. “Ainda há uma fragilidade física que pode causar um retrocesso nessa recuperação”, disse Bebbiano. Em um dos vídeos publicados por ele na semana passada, Bolsonaro afirmou que um esbarrão (no local ferido) poderia “colocar tudo a perder”.

O candidato tinha um voo marcado para ás 15h40 da tarde, que o levaria de volta ao Rio de Janeiro.

Na sexta-feira (28), ele voltou a aparecer nas redes sociais, onde postou uma foto se barbeando com a legenda: “Me preparando para voltar à ativa”.

Em outra postagem feita no mesmo dia, Bosolnaro comentou a reportagem da revista Veja, que trouxe detalhes sobre seu processo de separação. Para ele, na reta final das Eleições a mídia sempre lança seus ataques na tentativa de destruí-lo. “O sistema agoniza, vamos vencê-lo”.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Já neste sábado, ainda no hospital, ele fez nota postagem, onde afirmou que “nunca estivemos tão próximos de finalmente mudar esta realidade”, se referindo ao que ele classifica como sistema falido que coloca o povo à serviço do Estado e que lidera a corrida (presidencial) sem se curvar a este modelo.

Segue liderando as pesquisas

Novo levantamento divulgado pelo Datafolha nesta sexta-feira (28) mostra que o candidato do PSL Jari Bolsonaro segue liderando as pesquisas de intenção de voto.

Ele segue com os 28% do levantamento anterior, seis pontos a frente de Fernando Haddad, do PT.

A pesquisa também mostrou uma ferrenha disputa pelo terceiro lugar, com Ciro Gomes (PDT), caindo para 11% e Geraldo Alckmin do PSDB melhorando um pouco, tendo agora 10% das intenções de votos, o que – dentro da margem de erro – se configura com empate técnico.

Já Marina Silva (Rede), que há um mês aparecia em segundo lugar nas intenções de votos, segue em queda livre, tendo agora 5% da preferencia do eleitorado, já se aproximando do bloco dos nanicos.

Eleitores que afirmaram votar em branco ou nulo somam 10% enquanto que 5% não souberam responder.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo