Internado no Hospital Albert Einstein desde a manhã do último sábado (8), depois de ser transferido da Santa Casa de Juiz de Fora, e Minas Gerais, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, [VIDEO] apresentou “nítida melhora clínica e laboratorial”, de acordo com o último boletim divulgado pelos médicos, na manhã deste domingo (9). O comunicado informou ainda que não existe “nenhuma evidência de infecção”.

Outro boletim divulgado na noite anterior informava que o deputado já até caminhava pelo quarto, acompanhado de um fisioterapeuta, por cerca de cinco minutos, tempo que será gradualmente aumentado conforme a tolerância do paciente às atividades.

Eduardo Bolsonaro esteve com o pai na UTI na tarde deste sábado e postou uma foto do candidato sentado em uma poltrona.

A cúpula do hospital onde o político está internado também informou sobre os principais riscos que serão monitorados, como infecção e também pneumonia. A previsão de alta é entre uma semana e dez dias e o candidato só deve retomar suas atividades em 20 dias, [VIDEO] praticamente na reta final da campanha e primeiro turno.

Bolsonaro também fez uso das redes sociais para novamente agradecer o apoio e as orações que recebeu de simpatizantes. Ele afirmou ainda que “o momento nos une e fortalece”, se referindo ao atentado destacou ainda que “tão grave quanto a corrupção, é tentar roubar a nossa liberdade”.

Local onde candidato foi atacado atrai turistas

Local onde aconteceu o atentado contra o candidato Jair Bolsonaro, a rua Halfeld, no centro de Juiz de Fora, virou o ponto mais visitado da cidade neste feriado prolongado.

De acordo com o portal UOL, desde o ataque, o local passou a ser visitado por várias pessoas, que a todo instante conversam sobre o crime e também tiram fotos.

O local é o ponto comercial mais movimentado da cidade mineira. Com sua parte baixa fechada para o tráfego de veículos, é comum ver cabos eleitorais distribuindo santinhos para vários candidatos. De acordo com pessoas que trabalham no local, grandes políticos mineiros já passaram por ali para fazer campanha.

O fato acabou gerando um aumento de faturamento para os comerciantes, que notaram crescimento nas vendas. Segundo eles, algumas pessoas que vão lá para conhecer o local onde houve o atentado, acabam por comprar algum produto. Dona de uma barraca de mochilas que fica a poucos metros de onde ocorreu o esfaqueamento, a comerciante Ádria Cristina dos Santos contou que algumas pessoas que haviam saído do serviço acabaram indo para local para saber o que aconteceu e ai já aproveitaram para comprar alguma coisa.