Defensor do voto impresso, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse nesta quarta-feira (5) que o vencedor das Eleições deste ano, seja ele quem for, estará sub suspeita.

"O outro lado vai arguir a suspeição", disse o postulante ao cargo máximo do Executivo Nacional, ao participar de uma carreata entre Ceilândia e Taguatinga, regiões administrativas do Distrito Federal. No evento, chegou também a chutar um “pixuleco”, boneco que faz referência ao ex-presidente Lula.

A declaração foi uma resposta ao questionamento sobre o que faria caso não ganhasse a eleição, uma vez que tem se mostrado cético na confiabilidade das urnas eletrônicas.

“Por que nenhum país do mundo adota esse modelo, só o Brasil?”, disse o candidato, colocando em dúvida o sistema de votação que começou a ser usado no país nas eleições municipais de 1996. Ele ainda perguntou por que países como Estados Unidos, Coreia do Sul ou Japão também não aderiram ao sistema.

Ainda sobre as urnas eletrônicas, Bolsonaro fez críticas ao PT, afirmando que o Partido dos Trabalhadores descobriu nela a chave do sucesso. Ao ser questionado sobre o fato de colocar em dúvida o resultado do pleito antes mesmo dele ter acontecido, o candidato que lidera as pesquisas eleitorais foi taxativo.

“Eu não acredito nessa forma de apurar votos”, disse.

Um repórter chegou a perguntar para Bolsonaro se ele estava sentando na cadeira antes da hora. O candidato então respondeu que não estava sentando em cadeira alguma e encerrou a entrevista.

Bolsonaro terá que se explicar frase “fuzilar a petralhada”

Jair Bolsonaro terá que se explicar à Procuradoria Geral da República sobre uma frase dita durante um comício no último final de semana, em Rio Branco, no Acre.

O candidato do PSL disse: “Vamos fuzilar a petralhada toda aqui do Acre!”, disse durante um comício.

Lidera pesquisa

Na pesquisa divulgada pelo Instituto Ibope, o candidato Jair Bolsonaro segue na frente da preferência do eleitorado no primeiro turno. De acordo com os números divulgados, o candidato do PSL aparece com 22% das intenções de votos, contra 12% de Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) e 9% de Geraldo Alckmin (PSDB).

No entanto, em uma simulação para o segundo turno, ele perderia para todos esses candidatos. O único com quem Bolsonaro teria chances é Fernando Haddad, do PT, que na pesquisa no primeiro turno aparece em quinto lugar, com 6% das intenções de voto. No segundo turno, Bolsonaro teria 37% e Haddad 36%.

Não perca a nossa página no Facebook!