Na noite desta segunda-feira (24) o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) concedeu sua primeira entrevista após o atentado sofrido no último dia 06 de setembro, em Juiz de Fora, Minas Gerais. Visivelmente mais magro, Bolsonaro conversou com o jornalista Augusto Nunes, da rádio Jovem Pan e expôs sua opinião sobre o atentado que quase o levou à morte cometido por Adélio Bispo de Oliveira.

Bolsonaro conversou com o jornalista ainda em seu leito no hospital.

Publicidade
Publicidade

Sentado, o presidenciável estava em companhia do filho, Flávio Bolsonaro, que nestas eleições tentará uma vaga no Senado Federal. Aparentando estar bem fisicamente e sem a sonda nasogástrica que usou por vários dias, Bolsonaro disse que não acredita na tese de que Adélio Bispo tenha praticado o atentado sozinho. A opinião de Bolsonaro contradiz ao resultado das investigações da Polícia Federal, que concluiu as investigações afirmando que Adélio Bispo agiu sozinho em Juiz de Fora.

Bolsonaro disse que crime foi político

Na opinião de Jair Bolsonaro, o crime praticado em Juiz de Fora foi motivado por questões políticas. Para ele, os outros quatro concorrentes à presidência: Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) estavam muito próximos um do outro nas pesquisas de intenções de voto, praticamente empatados na segunda colocação e isto motivou o crime, já que a intenção era mesmo de tirá-lo da jogada, eliminando a sua vida.

“Por milímetros eles não conseguiram me matar, mais um pouco, a faca teria atingido veias as quais eu não resistiria”, afirmou.

Publicidade

A dor da facada

Na entrevista, Bolsonaro comentou a intensidade da dor que sentiu quando foi atingido pela facada. No momento, ele pensou que tinha levado uma pedrada ou um soco no estômago, e disse que até comentou com um dos seguranças que havia levado um soco, só que a dor não passava e a intensidade aumentava. A princípio achou que era um soco porque o corte não sangrou, a partir daí é que percebeu que havia um corte em seu estômago e viu que a coisa era mais grave do que imaginava.

Conversa com a família

Bolsonaro disse que já havia conversado várias vezes com sua família sobre a possibilidade de ser vítima de algum tipo de violência. Ele disse que sempre deixou a esposa e a filha de 7 anos alertas sobre essa possibilidade, já que percebia que a sua popularidade crescia a cada período de sua campanha.

Assista na íntegra, a primeira entrevista de Jair Bolsonaro a Jovem Pan, clicando no Vídeo abaixo.

Leia tudo