De acordo com informações divulgadas no jornal O Globo [VIDEO] desta segunda-feira (24), o candidato à presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, deverá ter alta médica na próxima sexta-feira (28). Internado há 18 dias no Hospital Israelista Albert Einstein, em São Paulo, Bolsonaro teve uma boa evolução em seu quadro clínico nos últimos dias, o que possibilitará sua saída do ambiente hospitalar e continuar sua recuperação em sua casa, situada em um condomínio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

Segundo o boletim médico divulgado nesta segunda, Bolsonaro, ex-capitão do exército, teve uma excelente evolução clínica e seu estado de saúde é estável.

Ele não teve febre ou sinais de infecção. O boletim também informou que o candidato à presidência permanece sem dor no abdômen, local da perfuração.

Transmissões ao vivo de Bolsonaro via internet

Como já estamos na reta final da campanha eleitoral, o candidato Jair Bolsonaro confirmou que fará transmissão ao vivo, via internet, de sua rotina a partir de agora. Com a intenção de interagir com seus eleitores e garantir a empatia do público até o fim do período eleitoral, Bolsonaro tentará manter a comunicação, já que estará proibido de participar de debates na televisão e de atividades de campanha de rua.

Afastado desde o dia 06 de setembro da política, data em que foi esfaqueado por Adélio Bispo de Oliveira durante sua campanha corpo a corpo com eleitores em Juiz de Fora, Minas Gerais. Bolsonaro irá se recuperar de duas cirurgias, uma feita no pronto-socorro da Santa Casa de Juiz de Fora e outra feita no próprio hospital Albert Einstein.

A partir de agora, o tratamento consistirá em breves caminhadas (dentro da casa), visando a prevenção de trombose venosa e de exercícios respiratórios visando a recuperação da rotina do intestino, já que os movimentos do intestino foram recuperados há poucos dias, através de uma dieta sólida leve.

Investigações sobre o atentado em Juiz de Fora

De acordo com informações divulgadas pelo delegado Rodrigo Morais, que acompanha as investigações do atentado de Juiz de Fora, Adélio Bispo de Oliveira agiu sozinho. As investigações apontaram que o agressor não obteve ajuda de comparsas para cometer a facada que perfurou o abdômen de Bolsonaro [VIDEO].

A polícia chegou a essa convicção, após analisar diversas imagens colhidas no local do crime. Outros depoimentos colhidos pelos investigadores também foram fundamentais para refutar a participação de terceiros no crime.