O candidato à presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez sua primeira aparição pública após ser esfaqueado nesta quinta-feira (06) na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. O Vídeo publicado pelo senador da República Magno Malta (PR-ES) mostra Bolsonaro no leito de hospital ainda com a aparelhagem médica e se recuperando da cirurgia com duração de 4 horas a qual foi submetido logo após o atentado.

Na gravação, os filhos de Jair Bolsonaro também aparecem ao lado do pai enquanto o senador faz uma oração de agradecimento e pedindo para que o candidato se recupere logo da cirurgia.

Publicidade
Publicidade

Após a oração, o próprio Bolsonaro comentou o atentado dizendo que a dor que sentiu era insuportável, mas que no momento do esfaqueamento sentiu apenas “uma pancada” como numa partida de futebol, no entanto, com a intensidade da dor percebeu que havia ocorrido algo mais grave. Ainda com aparência pálida e demonstrando rouquidão, Bolsonaro disse que nunca em sua vida fez mal a ninguém e fez questão de agradecer ao final do vídeo o trabalho dos médicos e enfermeiros.

Ao final da gravação, ele lamentou que não poderá participar do desfile de sete de setembro no Rio de Janeiro.

Assista na íntegra, logo abaixo, o vídeo publicado por Magno Malta.

Declaração de Eduardo Bolsonaro

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) que acompanhou o atendimento médico do pai no hospital e que a todo o momento esteve ao lado da equipe médica, disse a reportagem do jornal Folha de São Paulo que foi um verdadeiro milagre o pai escapar com vida do acidente e que se o atendimento demorasse mais cinco minutos, Jair Bolsonaro não resistiria ao ferimento.

“A faca entrou 12 centímetros dentro dele é um milagre ele ter saído com vida”, afirmou.

Publicidade

Suspeita de outros participantes no crime

Eduardo Bolsonaro levantou suspeita sobre a participação de outras pessoas no atentado e que dificilmente o suspeito Adélio Bispo de Oliveira teria cometido o crime sozinho. Na opinião do deputado, a faca que perfurou Bolsonaro deve ter passado por várias mãos antes de chegar à mão de Adélio Bispo.

“Muitos estão falando que existe uma investigação e que a faca rolou na mão de outras pessoas antes de chegar na mão do criminoso que deu a facada”.

Chances de recuperação

Em declaração dada à Folha de São Paulo no fim de noite desta quinta, o médico Glaucio Souza, um dos cirurgiões que participaram da cirurgia de Bolsonaro disseram que o candidato ainda corre risco de vida, mas que as chances de recuperação são muito boas, já que a intervenção cirúrgica foi muito bem sucedida.

Leia tudo