O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) conseguiu surpreender seus adversários ao retomar a estratégia de enfrentar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso em Curitiba. Para Bolsonaro, colocar Fernando Haddad na disputa ao Planalto é o mesmo que um plano para tentar livrar Lula da cadeia.

Muitos candidatos aproveitaram a ausência de Bolsonaro na campanha, em decorrência de seu estado de saúde em recuperação, para carregarem consigo a "bandeira" do antipetismo.

Publicidade
Publicidade

Geraldo Alckmin, do PSDB, por exemplo, foi um dos que usou esta tática, dizendo que quem votar em Bolsonaro estará favorecendo que o PT volte ao poder, já que, para o tucano, Bolsonaro não venceria o PT no segundo turno.

Entretanto, o deputado do PSL, ao invés de confrontar Fernando Haddad, decidiu ir diretamente à principal liderança do PT: o ex-presidente Lula. O petista foi alvo da Operação Lava Jato e condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Lula

Para Bolsonaro, Haddad seria a porta de saída de Lula da cadeia. Se ele conseguir vencer as Eleições, o ex-presidente poderá conseguir um perdão e um indulto. Vale ressaltar que o ex-prefeito de São Paulo evitou confirmar sobre essa hipótese.

Em uma transmissão ao vivo, o capitão também criticou o processo eleitoral, dizendo que as urnas eletrônicas não seriam confiáveis.

Polarização

Candidatos como Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin perceberam que a fala de Bolsonaro restabeleceu um protagonismo do candidato do PSL e Lula.

Publicidade

Recentemente, Alckmin tentava buscar essa polarização. Ele fez várias críticas ao governo da presidente cassada Dilma Rousseff nos seu programas eleitorais. Porém, a declaração de Bolsonaro contra Lula mostra que o capitão ainda é visto como alguém "inimigo" do PT.

Ciro Gomes tentou a mesma estratégia do tucano. Ele "atacou" o governo passado, de Dilma, e tentou colar Haddad na imagem o ex-presidente Lula. Ciro chegou a dizer que quem governaria o país, caso Haddad ganhasse, seria o ex-presidente, direto da cadeia. Ele também disse que o ex-prefeito de São Paulo não tem nenhuma experiência.

Eleições

Em uma pesquisa divulgada pela CNT/MDA, Bolsonaro segue líder na disputa ao Planalto. Ele está com 28,2% de apoio contra 17,6% de Haddad, que vem em segundo lugar. Ciro Gomes aparece em terceiro com 10,8%, Alckmin 6,15 e Marina Silva 4,1% de preferência dos eleitores.

Num eventual segundo turno entre Bolsonaro e Haddad, o capitão venceria com 39% contra 35,7% do petista.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo