Num artigo da Folha de S.Paulo, nesta terça-feira (25), mostrava um documento do Itamaraty que a ex-mulher do deputado e candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL), alegava ameaças dele e por isso saiu do país na época. Esse documento é de 2011. Logo após, o artigo da Folha ser amplamente, divulgado e gerado polêmica, Ana Cristina, ex-mulher de Bolsonaro e candidata a deputada pelo RJ, gravou um vídeo dizendo que tudo era mentira e que não houve ameaça alguma. Ana Cristina também disse que nunca falou com a embaixada do Brasil na Noruega – onde morava na época – e ataca, veementemente, a imprensa.

Os brasileiros que conviveram em Oslo

Na época que foi feito o documento, Ana Cristina, ex-mulher do Bolsonaro, morava em Oslo, na Noruega, e levou o filho do casal, que na época, era menor de idade. Segundo o documento da embaixada brasileira, ela saiu do Brasil por causa de várias ameaças que o ex-marido tinha feito na época. Que foi negado recentemente.

Segundo a Folha, 5 brasileiros que concordaram falar sobre o assunto, 4 admitiram que só falariam sobre, caso ficassem em anonimato e uma decidiu não ficar e se identificou.

A pessoa que se identificou se chama Simone Afonso, que mora ainda na Noruega e conheceu Ana Cristina em 2009, quando ela se mudou do Brasil. Conta ela que Ana Cristina tinha tentado asilo político na Noruega, e foi negado esse asilo pelo departamento de imigração norueguês. Ainda conta que a ex-mulher do deputado dizia que estava sendo ameaçada por Bolsonaro e que ele havia tirado a guarda do seu filho.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Jair Bolsonaro

Simone ainda conta que todos que moram em Oslo sabem que o discurso de Ana Cristina era de estar ali por medo do ex-marido. Também diz, que se a reportagem da Folha quisesse, ela faria uma listagem das pessoas do local, que sabem dessa história.

As outras testemunhas anônimas contaram a mesma coisa. Segundo as quatro testemunhas, Ana Valle, como era conhecida em Oslo, chegou por lá muito frágil e se aproximou do grupo de brasileiros que moram lá.

Ainda, costumava repetir, que a sua “cabeça” valia R$ 50 mil reais. Como não sabia falar o dialeto (língua) local e sabia muito pouco falar inglês, Ana Cristina tinha que depender de pessoas que tinha acabado de conhecer.

Simone Afonso disse ainda que Ana teria chegado a morar em uma casa de um brasileiro quando chegou lá. O nome do brasileiro era Fernando Xavier, e alugou um quarto para a ex-mulher do presidenciável, até que ela pudesse estar estabelecida na Noruega.

Xavier nas suas redes sociais, postou a reportagem da Folha e disse que a verdade estava surgindo no “teatro de vampiros”. Disse que Ana chegou ameaçada e ainda ficou anos sem ver o filho e ainda complementa que teria sido testemunha, assim como outras pessoas de Oslo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo