A delação do ex-ministro do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Antonio Palocci, tem causado um grande inquietamento nos membros do Partido dos Trabalhadores (PT). O depoimento de Palocci pode levar à tona irregularidades ocorridas nos governos petistas e influenciar a campanha do ex-prefeito de São Paulo à Presidência da República, Fernando Haddad. Lula, que cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, decidiu se manifestar sobre essa preocupação e pediu tranquilidade aos líderes do partido.

Um dos objetivos dos petistas é buscar descobrir o conteúdo dessa delação de Palocci, que pode complicar de vez o PT na corrida eleitoral, caso se constate atos ilícitos.

Alguns trechos chegaram a ser vazados para a imprensa e, de acordo com os dizeres do ex-ministro, Lula teria atuado diretamente no esquema de propina. Palocci chegou a citar um "delírio" do ex-presidente em relação às descobertas do pré-sal, o que poderia angariar muito dinheiro.

Entretanto, até o momento, o PT tenta imaginar o que o ex-ministro vai falar. Tudo é mantido em sigilo e isso afeta ainda mais a preocupação do partido.

Lula pede calma

Lula, que foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por Corrupção e lavagem de dinheiro após as investigações da força-tarefa da Lava Jato, foi consultado sobre esse acordo de Palocci firmado com a PF. Membros do partido queriam saber a opinião do condenado e os rumos a seguir. Vale ressaltar que Lula tem comandado o PT da cadeia e todas decisões do partido [VIDEO] passam por ele.

Lula afirmou que a delação de Palocci não causaria transtornos para campanha eleitoral, principalmente na reta final das Eleições. Ele não acredita numa delação consistente do ex-ministro.

A um interlocutor, o líder do PT [VIDEO]falou que examinou seu relacionamento com Palocci e constatou que, em nenhum momento, o ex-petista poderia comprometê-lo. Segundo Lula, o seu ex-amigo não teria provas suficientes para comprovar atos irregulares.

Delação

A delação de Palocci demorou para ser oficializada. O Ministério Público Federal (MPF) chegou a descartar o que ele tinha a dizer afirmando que não haveria provas sobre os fatos. Entretanto, Palocci conseguiu firmar acordo de colaboração com a PF.

São esperadas várias informações sobre recebimento de propina que teriam envolvido Lula. Todos sabem que o ex-ministro era muito ligado ao presidiário e ele estava por dentro, praticamente, de todos os acontecimentos do governo.

Resta aguardar se provas de Palocci conseguirão afetar o ex-presidente e, de suma, complicar as eleições para o partido.