Em um ato de campanha que fazia em Juiz de Fora-MG, Jair Bolsonaro [VIDEO] (PSL) acabou sendo esfaqueado e precisou passar por uma cirurgia. O acusado do crime, Adelio Bispo de Oliveira, já foi identificado e está detido após a polícia impedir que o homem fosse linchado pela população. O caso tomou uma grande repercussão e foi noticiado na imprensa do Brasil, repercutindo para outros países. Além dos eleitores, os políticos também deram suas opiniões sobre o ato de violência sofrido pelo candidato à presidência da república, dentre eles, Dilma Rousseff do PT também comentou o ataque a Bolsonaro, e lamentou o episódio.

As palavras de Dilma Rousseff

A candidata a senadora, Dilma Rousseff, após visitar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na carceragem da PF (Polícia Federal), em Curitiba, prestou entrevista á imprensa e falou sobre o ataque sofrido por Bolsonaro na tarde desta quinta-feira (6).

Segundo a petista, ações como o atentado a Bolsonoro seriam o retrato da violência que assola o país, criada pelo ódio que vem sendo disseminado na sociedade. A ex-presidente apontou que esse período eleitoral tem que ser a época para o país voltar a exercer o bom diálogo. De acordo com Dilma, o brasileiro não gosta de ódio e há a necessidade de refazer o hábito de dialogar: 'O ódio, quando se planta, você colhe tempestade', lamentou.

Em seu Twitter, a candidata ao Senado de Minas Gerais, pelo PT, voltou a falar sobre o caso:

O atentado à Bolsonaro

Jair Bolsonaro [VIDEO] cumpria sua agenda eleitoral em Juiz de Fora, Minas Gerais, quando foi surpreendido com uma facada no abdômen.

O presidenciável foi levado do local por apoiadores de seu partido e conduzido ao hospital, enquanto o autor do crime sofria com agressões dos presentes até que fosse preso pela polícia.

Bolsonaro deu entrada no hospital em estado de choque, segundo informado pela equipe médica e mesmo com o susto, em um primeiro momento, Flávio Bolsonaro acreditou se tratar de algo superficial e deu as primeira informações sobre o estado de saúde do pai, alegando não ter sido nada grave. Porém, com a atualização do caso, Flávio voltou a se pronunciar e informou que Jair Bolsonaro precisaria passar por uma cirurgia.

Bolsonaro pai passou algumas horas na mesa de operação, e, logo depois, seguiu para a UTI, como procedimento padrão nesses casos. Segundo as últimas informações da equipe médica, que atendeu o candidato à presidência da república, a estimativa mínima de sua internação hospitalar irá variar entre oito e dez dias.