Enquanto fazia campanha de panfletagem na última quinta-feira (13), em Curitiba, o candidato a governador do Paraná pelo PT, Dr. Rosinha, foi alvo de um ataque a bomba. O momento da explosão do artefato caseiro foi registrado em vídeo [VIDEO] e está circulando nos principais portais de internet nesta sexta-feira.

A explosão da bomba ocorreu em um local muito próximo onde o candidato petista fazia o trabalho de panfletagem junto com alguns apoiadores de sua campanha.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Curiosidades

Apesar do grande susto com a explosão, ninguém saiu ferido e o candidato seguiu normalmente fazendo o trabalho de divulgação de sua campanha.

Revolta de Doutor Rosinha com explosão de bomba

Logo após a explosão do artefato, Doutor Rosinha falou no Vídeo sobre o ocorrido.

Ele afirmou que um sujeito passou rapidamente onde eles estavam fazendo a panfletagem e arremessou a bomba caseira. Na opinião do petista, atos como esse são de responsabilidade de pessoas que alimentam o ódio. E que esse ódio está sendo construído muito fortemente o país atualmente. Ele expressou sua opinião e disse que é totalmente contra qualquer tipo de violência e que hoje em dia está muito difícil fazer uma campanha eleitoral nas ruas com esses atos de violência,não somente com candidatos de esquerda mas também com os de direita, fazendo menção a facada ocorrida em Juiz de Fora que vitimou Jair Bolsonaro.

Assista abaixo o vídeo do atentado a bomba contra Doutor Rosinha.

Outros casos de violência contra petistas no Paraná

O fato ocorrido nesta quinta-feira, está se tornando rotina contra partidários do PT no estado do Paraná.

Na última segunda-feira (10), durante um ato de campanha do partido, em Curitiba, a panfleteira Jéssica Teodoro da Silva foi atingida por resquícios de um rojão. O ato acabou gerando revolta entre os petistas que acompanhavam Jéssica que acabaram indo registrar um Boletim de Ocorrência.

No domingo (9), o advogado Renato Freitas, que disputa uma vaga de deputado estadual também foi atingido por balas de borrachas. Segundo informação divulgada no jornal O Estado de S. Paulo [VIDEO], as balas de borracha eram da Guarda Municipal de Curitiba. Os tiros acertaram diversas partes do corpo do candidato, inclusive, um dos dedos da mão direita de Renato Freitas se quebrou.

Após o incidente, Renato Freitas foi levado ao hospital e logo após se recuperar prestou depoimento na a Polícia. No depoimento, Freitas disse que os guardas dispararam por ele se recusou a sair do local em que fazia sua campanha.