O ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, comentou ao Estadão que está muito preocupado com a rivalidade e intolerância que tem tomado conta do país. Os seus dizeres aconteceram após o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ser vítima de um Ataque a faca enquanto fazia campanha em juiz de Fora, Sul de Minas.

A reunião das Forças Armadas aconteceu, nesta quinta-feira (06), e teve a presença da alta cúpula da instituição.

Estavam presentes os comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica e o foco do encontro era tratar sobre o orçamento das Forças Armadas. Ao serem informados sobre o atentado contra o deputado, todos ficaram apreensivos.

De acordo com as informações, os comandantes ressaltaram que há um acirramento dos ânimos e isso pode ser de grande preocupação nesse período eleitoral. O grande temor é o aumento da violência e o país entrar num caos. Segundo divulgado, as Forças Armadas, por enquanto, apenas acompanharão a evolução dos fatos.

General Villas Bôas

O general Eduardo Villas Bôas declarou que, nesta sexta (07), uma nova reunião seria feita voltada sobre o ataque sofrido ao candidato do PSL. Para o comandante do Exército, é inadmissível o que aconteceu em Juiz de Fora. Uma das medidas que ele pretende tomar é pedir para que os generais do Alto Comando acompanhem mais de perto os níveis de segurança de todos os candidatos e fiquem atentos com um possível aumento da violência no país.

Na concepção do general, a tensão só tende a aumentar e com as Eleições chegando cria-se ares de insegurança e isso não deveria acontecer.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Curiosidades

Jair Bolsonaro

Na manhã desta sexta-feira (07), Bolsonaro chegou em São Paulo para ser levado ao Hospital Albert Einstein. A direção do hospital falou que a transferência aconteceu tudo bem. De acordo com as informações, o deputado perdeu muito sangue e uns dos principais riscos que estão sendo monitorados são a pneumonia e infecção.

No boletim médico que saiu, foi informado que o candidato estava extremamente estável e a transferência não causaria nenhum problema para ele, sendo feita com total segurança.

Em uma declaração feita no hospital, Bolsonaro afirmou que já sabia sobre os riscos da campanha e afirmou que nunca fez mal a ninguém.

O deputado foi atingido por uma faca quando estava nos braços de apoiadores numa campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais. Ele foi socorrido às pressas e o suspeito já foi preso.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo