Fernando Haddad foi oficializado como candidato do Partido dos Trabalhadores nessa terça-feira (11), após a candidatura de Lula ser negada graças ao fato do ex-presidente se encaixar na lei Ficha Limpa, jé que está preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Apesar de recorrer a todos os recursos possíveis, a defesa de Lula não conseguiu com que o petista ficasse apto a concorrer à presidência do Brasil, restando assim para Haddad a tarefa.

Publicidade
Publicidade

Por conta de todos esses contratempos o Partido dos Trabalhadores não contou com nenhum representante durante os debates televisivos nem nas sabatinas realizadas por emissoras como a Rede Globo. Isso só foi possível após a decisão de registrar Fernando Haddad como candidato do PT, permitindo que o convite das emissoras fosse estendido a ele, no lugar de Lula.

Foi então que, nesta sexta-feira (14), o ex-prefeito de São Paulo se apresentou no Jornal Nacional para responder a questões trazidas por William Bonner e Renata Vasconcellos.

A sabatina, que durou trinta minutos, contou com perguntas sobre governabilidade e alguns questionamentos sobre o histórico do Partido dos Trabalhadores no Brasil. Em meio às respostas de Haddad surgiram dúvidas sobre a veracidade de alguns fatos abordados pelo prefeito, e se eles seriam verdade ou mentira.

Dilma não é ré em nenhuma ação da justiça: verdade

Haddad defendeu a ex-presidente do Brasil ao afirmar que ela não é ré em nenhuma ação. Isso é verdade.

Publicidade

Apesar de estar sendo investigada em dois inquéritos, que estão em tramitação na Justiça Federal de Brasilia, Dilma não é considerada ré em nenhum deles, pelo menos por enquanto.

O primeiro inquérito traria a denúncia de formação de organização criminosa, relacionando Dilma a João Vaccari Neto, Antonio Palocci, Gleisi Hoffman, Guido Mantega, Edinho Silva, Paulo Bernardo e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A denúncia seria que essa organização criminosa teria se reunido para desviar dinheiro da Petrobras.

O outro inquérito se refere a quando Dilma tentou nomear Lula como ministro da Casa Civil, permitindo assim que o petista contasse com o foro privilegiado para frear as investigações pelas quais estava passando.

Renato Duque foi afastado por Dilma após suspeita de propina: mentira

Essa afirmação é mentira. Acontece que Renato Duque renunciou por espontânea verdade após as denúncias de recebimento de propina. Dilma assumiu apenas após a renúncia do ex-diretor de Engenharia, Tecnologia e Materiais da Petrobras.

Publicidade

Segundo o Diário Oficial do Rio de Janeiro, Renato teria deixado o cargo no dia 27 de abril de 2012 e recebeu um agradecimento pelos serviços prestados a empresa no desempenho de suas funções.

Os promotores denunciaram Haddad estão sendo investigados pelo Ministério Público: verdade

Antes de ser oficializado como candidato do PT, Haddad foi denunciado por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e formação de quadrilha. Essa seria a segunda tentativa de denunciar o ex-prefeito de São Paulo feita pela mesma promotoria.

Publicidade

Haddad se mostrou surpreso pelas denúncias e afirmou que não existem provas concretas de que alguma irregularidade tenha acontecido durante sua gestão.

O conselheiro Luiz Fernando Bandeira de Mello pediu que os atos da promotoria fossem investigadas por conta de estarem sendo feitas em período eleitoral. A ideia seria descobrir se a ação da promotoria teria interesses políticos.

O PT gerou 20 milhões de empregos em 12 anos: verdade

Outra afirmação do ex-prefeito de São Paulo que se mostra verdadeira. Foram criadas cerca de 20,8 milhões de vagas de emprego entre o governo Lula e o primeiro mandato da ex-presidente Dilma Rousseff. Apesar disso, houve um recuo desse número na segunda parte do governo Dilma, baixando o número de vagas de emprego geradas pelo PT para 19,3 milhões.

Em 2016, época do impeachment de Dilma Roussef, o país sofreu com a queda de cerca 2 milhões das vagas criadas pelo PT durante os 12 anos de gestão.

Leia tudo