O deputado federal e candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, sofreu um atentado por volta das 16h (horário de Brasília), desta quinta-feira, 6. Durante um encontro que integra a sua campanha política, o deputado subiu nos ombros de um fã e era ovacionado por um grupo de homens que o querem como presidente.

Neste momento, uma pessoa desferiu uma facada em seu abdômen, fazendo o político gritar de dor e ser carregado quase desacordado para o carro.

Publicidade
Publicidade

Ele foi levado por seguranças até a Santa Casa da Misericórdia de Juiz de Fora.

O político passou por exames que constataram que seu fígado foi atingido pela facada, fazendo-o se submeter a uma cirurgia de emergência. Não se sabe muito sobre o estado de saúde do ex-capitão do exército, mas de acordo com um de seus filhos, existe a informação preliminar de que ele não corre o risco de morrer, mesmo assim, pediu o pensamento positivo dos fãs para que tudo saia bem na recuperação do político.

Quanto ao autor do atentado, a Polícia o prendeu em flagrante e o conduziu para uma delegacia da região. Não se sabe qual foi a motivação do crime, mas tudo indica que não há qualquer ligação partidária, mas talvez os discursos extremistas do candidato tenham motivado o homem a feri-lo. Antes de ser preso, apoiadores de Bolsonaro teriam tentado linchar o homem, o agredindo na rua.

Polêmicas envolvem a campanha de Bolsonaro

Se por um lado pesquisas realizadas com pequenos grupos de pessoas indicam que, na ausência de Lula, Bolsonaro é o preferido para ir ao segundo turno, por outro o candidato enfrenta grande rejeição do público feminino, além de ter um vasto currículo de ofensas públicas a mulheres, homossexuais e negros quilombolas.

Publicidade

Atualmente o deputado responde a um processo por incitação ao crime de estupro, ao ofender a deputada Maria do Rosário em um programa de TV e repetir a mesma ofensa em outras oportunidades, quando questionado em entrevistas. Segundo o político, Maria “não merece” ser estuprada, pois é muito feia, declaração que fez com o Supremo entendesse que ele estaria fazendo apologia ao estupro de mulheres consideradas “não feias”.

O político também pode carregar um novo processo no STF por ter ameaçado metralhar a petralhada na semana passada, em referência a supostos simpatizantes do Partido dos Trabalhadores.

Vale ressaltar que na última eleição presidencial, quase todas as pesquisas indicavam que o segundo turno seria entre Aécio Neves e Marina Silva, mas a disputa acabou ficando entre Dilma Rousseff e Aécio Neves, sendo que o resultado final teve pouco mais de um milhão de votos de diferença entre os dois presidenciais.

As pesquisas são meramente especulativas e servem para se ter um parâmetro de como pode ser o resultado de uma eleição, motivo pelo qual se entrevista homens e mulheres de diferentes regiões do país, mas isso não significa que todos os resultados sejam absolutos, principalmente na eleição mais incerta do país, em que se espera um novo recorde de abstenção de parte significativa da população, fato que pode, indiretamente, decidir o resultado final do pleito.

Publicidade

Leia tudo