Oficialmente anunciado na última terça-feira (11) como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Haddad (PT [VIDEO]) participou nesta sexta-feira (14) de uma das principais sabatinas da televisão brasileira: a sabatina feita por William Bonner e Renata Vasconcellos, no Jornal Nacional. E como já se esperava, Haddad foi bombardeado por perguntas sobre envolvimentos de seu partido com esquemas de corrupção, principalmente nos 13 anos em que Lula e Dilma Rousseff [VIDEO] governaram o país.

O que surpreendeu foi a defesa ferrenha que Haddad fez do governo de Dilma Rousseff, afirmando que sua correligionária que teve seu mandato cassado em 2016 não foi culpada nos altos índices de desemprego e pela grave crise econômica a qual o país está passando.

Antes crítico de Dilma, Haddad saiu em defesa do governo de Dilma, afirmando que o Congresso Nacional não colaborou com a petista, principalmente deputados filiados ao PMDB e ao PSDB que somente colocavam “pautas bomba” para serem aprovadas. Anteriormente, Haddad era uma das lideranças petistas mais críticas do governo Dilma.

No ponto de vista do presidenciável petista, houve uma verdadeira “sabotagem” dos parlamentares ao governo petista, o que resultou na crise do país. Na entrevista, Haddad citou Eduardo Cunha e Aécio Neves como figuras fundamentais neste processo de sabotagem, pois apenas aprovavam despesas a um governo que necessitava de ajustes fiscais.

Além de defender Dilma na administração de governo, Haddad também defendeu no possível envolvimento da petista em desvios de recursos na Petrobras, afirmando que a ex-presidente não é ré em nenhum processo judicial referente a essas investigações.

Não esquecendo da estratégia de vincular sua imagem à de Lula, Haddad começou o programa saudando os telespectadores com um “Boa noite presidente Lula”.

Embate com a Rede Globo

A maior parte dos 27 minutos de participação no Jornal Nacional, Fernando Haddad teve que responder perguntas sobre as investigações judiciais que seu partido vem sofrendo nos últimos anos, inclusive teve que responder sobre acusações sobre ele próprio, já que responde por denúncias de caixa 2 em sua eleição para prefeitura de São Paulo em 2012.

Tentando se defender das perguntas, Haddad afirmou que vários pessoas e organizações são investigadas, inclusive tentou colocar a própria Rede Globo em foco, dizendo que a “Rede Globo também é investigada” e que em muitos casos, a emissora condena as pessoas por antecipação. Ele também afirmou que pessoas públicas são investigadas a todo o momento e que isso não significa culpa.

Assista na íntegra a entrevista de Haddad no Jornal Nacional, clicando no Vídeo abaixo.