O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, foi encaminhado às pressas ao centro cirúrgico do hospital Albert Einstein, em São Paulo. A informação foi publicada em primeira mão pelo jornalista Cláudio Dantas, do site "O Antagonista". Segundo a publicação, o candidato do PSL foi submetido a esse procedimento de emergência devido a uma aderência nas paredes intestinais. O hospital Albert Einstein, por sua vez, divulgou nota dizendo que o quadro de Jair Bolsonaro evoluiu para distensão abdominal progressiva e náuseas, e que após uma tomografia foi constatada a necessidade deste novo procedimento.

Esse novo procedimento é inesperado e surpreende, pois segundo o último boletim divulgado pelo hospital, o quadro clínico de Jair Bolsonaro permanecia inalterado nas últimas 12 horas.

Os primeiros indícios de que algo estava errado com Bolsonaro foram percebidos na tarde desta quarta-feira, dia 12 de setembro, quando o candidato teve episódios de náuseas e distensão abdominal. Por conta disso, os médicos decidiram suspender a alimentação oral do candidato, que voltou a se alimentar apenas pela veia.

A última informação foi divulgada por um dos filhos do candidato, Flávio Bolsonaro, que é senador no Rio de Janeiro. Segundo ele, o estado de saúde do pai ainda é grave.

Eduardo Bolsonaro, outro filho do candidato e deputado federal também pelo Rio de Janeiro, disse que novas informações só serão divulgadas, possivelmente, no próximo boletim médico do Hospital Albert Einstein, que só será divulgada na manhã desta quinta-feira, dia 13.

O site "O Antagonista" conseguiu entrar em contato com o general Hamilton Mourão, vice na [VIDEO] chapa de Bolsonaro. O general acredita que a nova cirurgia [VIDEO] do candidato não deve ser nada grave, porém criticou o excesso de pessoas no quarto de Bolsonaro.

Relembre os fatos

Jair Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia de emergência na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora-MG, depois de ter sido esfaqueado por um homem durante ato político na cidade. A princípio, imaginava-se que o corte havia sido superficial, como os próprios filhos do candidato haviam declarado, porém, mais tarde foi detectado lesões sérias no intestino, e por isso ele foi submetido a cirurgia de emergência.

No dia seguinte, Bolsonaro foi transferido para o Hospital Albert Einstein, onde foi imediatamente internado na UTI. Após os atendimentos de primeiros socorros, a principal preocupação dos médicos é o risco de infecção e pneumonia, devido a grande perca de sangue na primeira cirurgia (cerca de 2 litros).