Logo em seu primeiro programa da propaganda eleitoral gratuita, o candidato do PSDB Geraldo Alckmin partiu para o ataque contra Jair Bolsonaro (PSL), [VIDEO] líder nas pesquisas eleitorais. Tentando reforçar a imagem de que o adversário maltrata mulheres, os tucanos usaram imagens de Bolsonaro discutindo na Câmara, em 2014, com a jornalista Manuela Borges, na época funcionária da Rede TV! [VIDEO]e que foi xingada pelo deputado de idiota.

Atualmente trabalhando na CNT, a repórter afirmou que não foi procurada pelo PSDB para ter sua imagem veiculada na propaganda política e agora teme que possa ser agredida nas ruas, além de classificar a exposição provocada pela campanha tucana como “constrangedora”.

“Estou com medo de um desconhecido do nada me agredir”, disse a jornalista ao lembrar que tem um filho pequeno.

Ela também não deixou de criticar o outro lado, afirmando que “a causa do vídeo pode até ser nobre”, uma vez que mostra que o candidato do PSL é truculento com as mulheres. Manuela disse ainda que na ocasião não provocou o político e sua irritação partiu por conda de um questionamento feito por conta dos 50 anos do golpe militar. Por conta do episódio, ela cogitou em processar Bolsonaro, mas em razão de não ter recebido apoio da emissora na qual trabalhava, acabou recuando.

O PSDB foi questionado sobre o uso da imagem em sua propaganda. O partido afirmou que a Lei Eleitoral permite o uso de imagens feitas em locais públicos, como é o caso da Câmara, e que isso não necessita de prévia autorização.

Além desse vídeo, a propaganda do PSDB também mostrou um episódio em que Bolsonaro xinga a deputada Maria do Rosário, em 2003. No entanto, quem acabou recebendo uma onda de ameaças e xingamentos das redes sociais acabou sendo a própria deputada, que passou a ser acusada de defender estupradores.

Bolsonaro responde

Por conta dos vídeos publicados pela propaganda tucana, Jair Bolsonaro passou a usar suas páginas nas redes sociais [VIDEO] para postar vídeos com mulheres. O candidato ainda diz que “o PSDB quer tutelar as mulheres” e ainda diz que tanto Maria do Rosário quanto Alckmin acreditam que um estuprador de 17 anos é um pobre coitado e que não merece ser responsabilizado por seus crimes.

TSE rejeitou pedido

Jair Bolsonaro pediu para que o Tribunal Superior Eleitoral retirasse esses vídeos da campanha eleitoral do PSDB, porém, os ministros do TSE Sérgio Banhos e Luis Felipe Salomão negaram a solicitação do candidato do PSL. Eles entenderam que as montagens não resultaram em ofensa à honra de Bolsonaro.