O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, havia autorizado que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desse entrevista à Folha de São Paulo, e determinou que a 12ª Vara Federal de Curitiba agendasse, juntamente com o jornal, o dia e horário da entrevista. Segundo Lewandowski, que atendeu o pedido da defesa do petista, um preso pode dar entrevista e não tem nada de errado nisso.

Diante de uma reclamação do Partido Novo, o ministro também do Supremo, Luiz Fux, derrubou a decisão de Lewandowski e impediu essa entrevista. De acordo com Fux, as declarações de Lula em plena época eleitoral não seriam corretas, pois poderiam causar desinformação na véspera do sufrágio, considerando a proximidade do primeiro turno. Um grande mal-estar tomou conta da Corte.

No sábado (29), o presidente do Supremo, Dias Toffoli, decidiu telefonar aos colegas para evitar problemas de despachos monocráticos.

Toffoli quer evitar uma "guerra" de ânimos no tribunal, justamente agora que ele está no comando da Casa.

Dois ministros da Corte desabafaram com o Painel da Folha e disseram que Fux não poderia ter tomado tal decisão. De acordo com esses dois ministros, o Partido Novo não teria legitimidade para entrar com esse tipo de reclamação de derrubar uma decisão de mérito de um outro ministro, no caso, a decisão de Lewandowski.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Governo

Especialistas afirmaram que os únicos que poderiam tentar suspender essa liminar é a Procuradoria-Geral da República (PGR) e a Advocacia-Geral da União (AGU). Entretanto, elas já haviam decidido que não iriam recorrer. Um outro ponto destacado é que o pedido do Partido Novo tinha que ser analisado por Dias Toffoli, por mais que ele não estava em Brasília, mas estava no Brasil.

Irritado

Lewandowski ficou profundamente irritado com Fux.

Segundo ele teria comentado com seus colegas de tribunal, Fux usurpou a competência da presidência da Corte para tomar uma decisão mediante o que achava melhor. Lewandowski ainda ressaltou que sua posição no caso da entrevista de Lula não foi uma simples liminar, mas uma decisão de mérito.

Lula

O ex-presidente Lula já teve vários de seus pedidos para dar entrevista negados pela Justiça. O petista também foi alvo da Lei da Ficha Limpa por ter sido condenado em segunda instância pela Operação Lava Jato.

Lula cumpre pena na Superintendência Federal da Polícia Federal, em Curitiba. Sua pena é de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo