Na sexta-feira (16), uma mala recheada de dinheiro foi apreendida no Aeroporto Internacional de Viracopos, na cidade de Campinas. Na maleta tinham US$ 16 milhões, o que equivale a cerca de R$ 72 milhões, e estava sob o poder do vice-presidente de Guiné Equatorial, na África, Teodoro Obiang Mang, conhecido como Teodorin. Ele é filho do ditador Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, que já está no poder do país africano há 39 anos.

Segundo informações da revista IstoÉ, o ditador é amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e recebeu, enquanto o PT estava no poder, financiamentos milionários do BNDES para obras em Guiné.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

De acordo com as informações da revista, Lula teria feito ligação com as construtoras Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez, para que obras gigantescas fossem realizadas nos países africanos, como no caso, Guiné Equatorial.

A Polícia Federal apura se a quantia apreendida teria com destino campanhas eleitorais do Brasil [VIDEO]. Um outro ponto que causou suspeita nos agentes federais é que os africanos não souberam informar o que fariam com o dinheiro apreendido.

Teodorin chegou a dizer que estava no Brasil para um tratamento médico, entretanto, não soube informar quem seria o médico ou o hospital em que ele seria atendido. As autoridades da Guiné tentaram por dois dias recuperar o dinheiro, mas não conseguiram. Ele ficou depositado no Banco Central brasileiro. A PF abriu inquérito [VIDEO] e Teodorin pode ser acusado de lavagem de dinheiro.

Ligações com Lula

O ministro Raul Jungmann, da Segurança Pública, foi o primeiro a desconfiar da fortuna, que segundo ele, iria para as campanhas políticas. Ele ressaltou que essa quantidade de dinheiro vivo causa estranheza e deve ser investigada.

O ditador Teodoro Obiang tem uma amizade com Lula há bastante tempo. Lula foi, inclusive, condecorado pelo ditador, que está no poder há quatro décadas. Lula autorizou junto ao BNDES financiamentos milionários para obras de infraestrutura do país africano. Vale ressaltar que o ditador é considerado o oitavo presidente mais rico do mundo.

Em 13 de março de 2013, segundo a IstoÉ, Lula viajou para Guiné num jatinho fretado pela Odebrecht. De acordo com as informações, a Odebrecht realizaria as obras no país africano, como, por exemplo, a construção de um aeroporto, e em troca, Lula receberia altas quantias da empreiteira por palestras realizadas na África.

Festa patrocinada

O filho do ditador gosta muito de festas e é mulherengo. Por intermédio de Lula, ele foi homenageado, em 2012, numa festa, em Salvador (BA). Todo o custo da festa teria sido patrocinado pela construtora OAS, que é uma das investigadas pela Operação Lava Jato. Em troca, a OAS teria tido vantagens em obras no país africano.

Em 2015, o Guiné Equatorial financiou o desfile da Beija-Flor no Rio de Janeiro, que teve esse país como destaque.