Após Bolsonaro sofrer um atentado e ser esfaqueado em um ato de campanha em Juiz de Fora, Minas Gerais, o PSL, partido do presidenciável, resolveu exibir uma nova campanha para a candidatura do deputado à presidência do Brasil. Em suas redes sociais, o partido divulgou um vídeo em que recriou a camisa usada por Jair no dia em que levou a facada em meio a população mineira. Além do PSL, o filho de Bolsonaro, Flávio, também publicou em seu Instagram a nova campanha e apareceu convidando seus eleitores para um ato de apoio ao pai, que foi realizado ontem (9) em Copacabana, Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

“Meu Partido é o Brasil”

Jair Bolsonaro segue hospitalizado após ser esfaqueado no abdômen e precisar passar por uma cirurgia. Diante de toda a repercussão que o atentado à vida do deputado gerou, o PSL resolveu mudar a estratégia de marketing para a campanha de Bolsonaro, e criou uma nova propaganda que foi exibida sábado (8), no Instagram oficial do partido. Em vídeo, uma montagem aparece mostrando uma réplica da camisa usada pelo presidenciável no dia em que foi esfaqueado, exibindo o slogan “Meu Partido é o Brasil”, suja de sangue, e com a marca da facada.

Em seguida, Flávio Bolsonaro aparece nas imagens convidando seus seguidores um ato de campanha.

Em seu Instagram, o filho de Jair Bolsonaro também publicou a nova campanha. "Nosso Capitão Bolsonaro fez o que pôde, agora é com a gente", convocou na legenda da foto.

No mesmo sábado, a nova propaganda para a campanha de Bolsonaro começou a ser exibida no rádio e na TV, onde mostrou cenas do ataque ao deputado. Eduardo Bolsonaro, também filho de Jair, publicou em suas redes sociais um vídeo em que a cena da facada aparece, indicando que o esfaqueamento deve ser vinculado às ações de marketing da nova campanha. Na publicação, Eduardo mostrou preocupação sobre como seria interpretado o vídeo, por exibir a facada e ressaltou ser uma homenagem ao pai.

Publicidade

O atentado à vida de Bolsonaro

O atentado contra Bolsonaro aconteceu na última quinta-feira (6), quando o presidenciável fazia um corpo a corpo na cidade mineira de Juiz de Fora, e foi esfaqueado por um homem em meio à multidão. Imediatamente levado ao hospital, o deputado precisou passar por uma cirurgia e segue internado à espera de alta. Mesmo com um extenso corte no abdômen, e tendo ficado em estado grave, Bolsonaro já respira sem a ajuda de aparelhos e seu estado é estável.

Adelio Bispo de Oliveira, o homem acusado de esfaquear Jair Bolsonaro, segue detido em um presídio federal.

Leia tudo