De acordo com informações divulgadas pelo G1, Jair Messias Bolsonaro, candidato ao cargo de presidente da nação pelo Partido Social Liberal (PSL), usou a internet (um dos principais palanques políticos do presidenciável) para divulgar um Vídeo no qual afirma que está se sentindo bem e que espera sair em breve do Hospital Israelita Albert Einstein –estabelecimento no qual permanece internado desde que foi transferido para São Paulo em função do atentado a facada sofrido em 6 de setembro na cidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

A filmagem, contendo 25 segundos de duração, foi postada no perfil oficial que Bolsonaro mantém no Twitter, e o candidato, mostrando bom humor e uma visível melhora no seu estado de saúde, fez um pequeno discurso dirigido ao seu eleitorado, onde lembrou que esta sexta-feira (21) marca a véspera do início da primavera.

O presidenciável disse no vídeo que nunca se sentiu "tão bem na vida", e agradeceu ao apoio que tem recebido do público. Na sequência, noticiou que espera ter alta do hospital até o dia 30 do mês atual: "Até o final do mês se Deus quiser estarei de alta, onde então, juntos, enfrentaremos o sete de outubro – um novo marco no rumo do nosso Brasil", afirmou.

Primeira entrevista após o atentado

Também nesta sexta-feira (21), Jair Bolsonaro concedeu a primeira entrevista a um meio de comunicação desde que sofreu o atentado.

Durante diálogo concedido por telefone à Folha de S.Paulo, que durou cerca de quatro minutos, o presidenciável comentou, entre outras coisas, a respeito do seu processo de recuperação após a facada, e sobre os ataques que vem sofrendo no horário eleitoral por parte do candidato Geraldo Alckmin (PSDB) – os quais classificou como atos de "covardia".

Bolsonaro afirmou que está "cumprindo rigorosamente as ordens médicas", e que, devido ao fato de seu estado de saúde ainda requerer muita atenção – ele permanece, por exemplo, tomando altas doses de antibióticos –, será "impossível" voltar a fazer campanha nas ruas ou mesmo participar de debates políticos antes que o primeiro turno das Eleições aconteça.

Assim, para continuar a alcançar o eleitorado, o presidenciável pretende usar a internet, fazendo transmissões que serão divulgadas em suas redes sociais.

Segundo a reportagem publicada pela Folha, o presidenciável "se queixou bastante" a respeito da campanha política que Alckmin vem mantendo, e da qual é o alvo prioritário. Bolsonaro disse que vê a atitude do rival "com muita tristeza", e revelou que "não esperava isso dele".

O candidato do PSL lamentou ainda não dispor de tempo para rebater o que chamou de "festival de baixaria" propagado por Geraldo Alckmin, e ressaltou que, se tivesse espaço midiático, perguntaria ao ex-governador de São Paulo sobre situações nas quais o adversário é denunciado por irregularidades na sua administração – como, por exemplo, no caso que ficou conhecido como "máfia da merenda", onde a gestão Alckmin e 22 prefeituras paulistas foram acusadas de superfaturar os preços de itens alimentícios comprados para escolas da rede pública.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Curiosidades
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!