TSE barra Lula e recorre de troca com direito a prazo
TSE teve 'sessão secreta' de 30 min mas liberou horário eleitoral. Haddad é principal cotado I Galeria BN
1 de 2

Photogallery - TSE barra candidatura de Lula por 6 votos a 1 e dá prazo de 10 dias para um substituto

O julgamento do TSE com relação a candidatura à Presidência da República de Luiz Inácio Lula da Silva, encerrado na madrugada deste sabádo (1º), teve um resultado negativo para o petista. O orgão acabou rejeitando o pedido de registro da candidatura barrando Lula por 6 votos a 1. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) entendeu por unanimidade que o fato de Lula estar inelegível pela Lei da Ficha Limpa já torna a sua candidatura à presidência inviável. O petista não só teve a candidatura barrada como também foi proibido de fazer campanha tanto na rádio como na TV.

Apesar da decisão do TSE, a defesa de Lula ainda poderá recorrerm caso queira, tanto no TSE quanto no STF. Retrocedendo de uma decisão com relação à troca, com Lula fora do pleito, a corte deu um prazo de 10 dias para que o Partido dos Trabalhadores (PT) apresente seu candidato à presidência, para tanto, Haddad deve ser o principal cotado.

Com relação a candidatura de Lula além do Ministério Público, Jair Bolsonaro, o partido Novo e outros candidatos e cidadãos também contestaram a candidatura do petista. Ao todo foram 16 impugnações, segundo informações dispostas.

TSE mantém caráter da denúncia do Ministério Público

Voltar a artigos: TSE barra candidatura de Lula por 6 votos a 1 e dá prazo de 10 dias para um substituto