Opositores de Jair Bolsonaro, candidato à Presidência da República pelo Partido Social Livre (PSL), costumam acusar o ex-deputado federal de ser racista. Baseando-se pela decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), os adversários estão errados.

Por 3 votos a 2, a Primeira Turma decidiu que Bolsonaro [VIDEO] não deve virar réu em um processo que era movido contra ele e o acusava de ter dado declarações racistas sobre quilombolas.

O caso

Em abril de 2017, Jair Bolsonaro participou de um evento no Clube Hebraica, no Rio de Janeiro [VIDEO]. A presença do deputado federal no clube judeu causou bastante polêmica e houve até abaixo-assinados para impedir sua ida ao local.

Durante o evento, Bolsonaro fez um comentário sobre quilombolas que foi considerado ofensivo. O então parlamentar declarou que havia ido visitar um quilombo e o afrodescendente mais leve do local pesava 7 arrobas.

Arroba é a uma medida usada para pesar gado. Para alguns, Bolsonaro havia comparado um negro com um animal. O deputado federal também afirmou que os quilombolas não fazem nada e nem que para procriar ele achava que serviam mais.

Bolsonaro encerrou sua fala dizendo que são gastos mais de R$ 1 bilhão com eles anualmente. A plateia formada por cerca de 300 pessoas aplaudiu a fala do hoje líder nas pesquisas de intenção de votos.

Em abril deste ano, um ano depois das declarações, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acusou Bolsonaro de racismo. Além dos quilombolas, Bolsonaro também fez comentários sobre indígenas e refugiados.

Rejeição da denúncia

O voto que desempatou a sessão que votou a denúncia contra Jair Bolsonaro foi feito pelo ministro Alexandre de Moraes. Antes dele, os ministros Marco Aurélio Mello e Luiz Fux também votaram para que Bolsonaro não se tornasse réu.

Na sessão do dia 28 de agosto, em que Moraes pediu vista e adiou o desfecho, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso também votaram e decidiram que a acusação contra Bolsonaro fosse acolhida.

Jair Bolsonaro é líder da pesquisa de intenção de votos, de acordo com diversos institutos de pesquisas, como Ibope, Datafolha, FSB, Paraná Pesquisas, DataPoder360, entre outros.

Livre da denúncia de racismo, Bolsonaro tem outras duas denúncias contra ele no STF, por incitação ao estupro e injúria. Apesar das denúncias, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o registro da candidatura de Bolsonaro.

No entendimento do TSE, responder a ação penal não elimina o direito de ser candidato. As eleições estão marcadas para o dia 7 de outubro. O segundo turno, caso haja, será disputado no dia 28 de outubro.