Nesta última sexta-feira, 21 de setembro, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Carlos Horbach determinou que a rede social Twitter entregasse dados de perfis que comemoraram o atentado ao candidato à Presidência do Brasil Jair Bolsonaro. [VIDEO] Segundo informações dos portais Extra e O Antagonista, 16 usuários podem ser penalizados por declarações em tom de comemoração ao atentado que quase tirou a vida do político do PSL.

Há cerca de duas semanas, Jair Bolsonaro levou uma facada de Adelio Bispo de Oliveira enquanto estava em passeata na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

O político sofreu graves ferimentos e foi atendido às pressas pelos médicos. No momento, Bolsonaro segue internado, mas felizmente passa bem.

A decisão do ministro faz com que o Twitter tenha apenas dois dias para entregar dados desses 16 usuários.

Não foi revelado quais são os perfis que compactuaram com o atentado. Com isso, o Twitter deverá fornecer os dados, caso contrário estará sob pena de multa de R$ 50 mil diária e ainda responder por crime de desobediência a uma autoridade da Justiça Eleitoral.

Pedido da coligação de Bolsonaro

Os pedidos para ação do TSE vieram da coligação de Jair Bolsonaro. O objetivo foi questionar e identificar os autores das mensagens. O Ministério Público Eleitoral mostrou-se favorável ao pedido e afirmou que os responsáveis poderão responder por crime contra a honra ou crime eleitoral. Em primeiro momento, o TSE havia pedido para que as postagens fossem retiradas do ar.

Investigações sobre agressor de Bolsonaro

Adelio está sendo investigado pela Polícia Federal. O objetivo da instituição é saber se houve um mandante do crime.

A facada na região abdominal de Bolsonaro pode indicar que a real intenção do agressor era matar o político. Bolsonaro está liderando as pesquisas eleitorais, ele aparece na frente de nomes como Fernando Haddad, Ciro Gomes, Geraldo Alckmin e Marina Silva.

Em reportagem do portal G1, a policia deverá investigar os dois últimos anos de vida do autor do crime. A busca de conexões é para saber como e por que Adelio agiu sozinho, ou então quem está por trás do atentado.

Bolsonaro segue internado, mas passa bem. Em recente vídeo, o candidato evidenciou que pretende sair esse mês do hospital. A campanha eleitoral [VIDEO] do político ficou prejudicada devido o atentado.