Jair Messias Bolsonaro, de 63 anos de idade foi eleito o 38º presidente da República do Brasil. O anúncio oficial que confirmou a vitória do candidato foi realizado às 19h21 deste último domingo (28), após o resultado das Eleições ser apurado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Contando com 55,13% dos votos válidos, Bolsonaro do PSL (Partido Social Liberal), se elegeu com 57.796.986 votos, derrotando assim o candidato do PT (Partido dos Trabalhadores), Fernando Haddad, de 55 anos de idade.

Não escondendo suas preferências, bem como seu estilo rígido de governar, durante sua candidatura, Jair Bolsonaro deixou escapar alguns nomes que tinham potencial de ajudá-lo a guiar o país no decorrer dos próximos quatro anos.

Eleito, Bolsonaro confirma quatro ministros

A definição de todos os escolhidos para contribuírem com seu Governo deve acontecer nos próximos dias, juntamente com seus novos pronunciamentos.

Fazendo questão de ser o mais direto possível, o presidente eleito neste último dia 28, já confirmou o nome de quatro ministros que farão parte de seu governo. São eles: Paulo Guedes, Onyx Lorenzoni, Augusto Heleno e Marcos Pontes.

Nome bastante forte e respeitado, Paulo Guedes foi demasiadamente citado durante a campanha de Bolsonaro, como sendo seu grande aliado na luta para recuperar o prestígio econômico do país.

Onyx Lorenzoni, que cumpre o mandato de deputado federal, foi o grande escolhido de Jair Bolsonaro para liderar estrategicamente a Casa Civil.

Para o Ministério da Defesa, Bolsonaro, que é capitão reformado do Exército Brasileiro, escolheu o general também reformado, Augusto Heleno.

Já para o Ministério de Ciência e Tecnologia, o presidente eleito nomeou o astronauta, Marcos Pontes, que também é militar e ocupa o cargo de tenente-coronel da Aeronáutica.

Outros nomes aparecem como cotados para assumirem ministérios no governo Bolsonaro

Para o Ministério da Saúde, os nomes do diretor do hospital de Câncer de Barretos em São Paulo, Henrique Prata e de Nelson Teich, velho conhecido de Paulo Guedes e Bolsonaro, são os mais cotados.

O Ministério da Educação poderá ficar a cargo do professor Stravos Xanthopoylos, que assim como Bolsonaro é contra o sistema de cotas ou do general Aléssio Ribeiro Souto, que defende piamente uma revisão no conteúdo ensinado nas escolas e universidades.

Para a cadeira de Ministro da Justiça, o nome mais cotado é o do advogado carioca Gustavo Bebianno, que ocupa o cargo de presidente do PSL.

Luiz Antônio Nabhan Garcia, é um forte candidato a ocupar o cargo de Ministro da Agricultura ou o do Meio Ambiente, por conta de seu excelente trabalho como Presidente da União Democrática Ruralista.

O ex-senador Magno Malta, que durante toda a candidatura de Bolsonaro pôde ser visto acompanhando o representante do PSL, poderá ocupar uma das cadeiras como ministro escolhido pelo presidente.

Até o presente momento os nomes citados como cotados não foram confirmados pelo presidente eleito.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!