Nesta terça-feira (2), saiu uma nova pesquisa eleitoral realizada pelo Datafolha, que, a exemplo do que constatou o levantamento do Ibope divulgado na segunda-feira (1), mostra que Jair Messias Bolsonaro, candidato do PSL à presidência da República, está crescendo na preferência do eleitorado em relação a Fernando Haddad (PT), seu principal adversário. Além disso, analistas do mercado financeiro afirmaram que existe, embora seja pouco provável, a possibilidade de que Bolsonaro possa vencer a eleição já no primeiro turno.

O Datafolha revelou que em relação à sua última pesquisa, o presidenciável do PSL subiu de 28% para 32% nas intenções de voto, ao passo que Haddad caiu de 22% para 21%.

Na sequência da sondagem, aparecem Ciro Gomes (PDT) com 11%, mesma porcentagem aferida anteriormente, Geraldo Alckmin (PSDB), que caiu de 10% para 9% e Marina Silva (Rede), que também oscilou negativamente, indo de 5% para 4%.

O levantamento, no qual foram entrevistadas 3.240 pessoas de 225 municípios, sendo que a margem de erro apontada é de dois pontos percentuais (para mais ou para menos), mostrou que Jair Bolsonaro disparou nas regiões Sul (onde subiu de 35% para 44%) e Sudeste (crescimento de 31% para 35%), ao passo que Haddad se manteve líder no Nordeste com 36% das intenções de voto. No entanto, até mesmo naquela região, considerada um tradicional reduto petista, Bolsonaro conseguiu diminuir a diferença em relação ao seu rival.

Ainda de acordo com o Datafolha, Jair Bolsonaro cresceu, inclusive, nos segmentos do eleitorado onde encontrava uma resistência mais expressiva, como é o caso em relação às mulheres: entre elas, a preferência pelo capitão reformado do Exército aumentou de 21% para 27%, superando Fernando Haddad, que conta agora com 20% dos votos femininos.

No caso do candidato petista, o que aumentou foi a sua rejeição, que subiu de 32% para 41%. Bolsonaro, neste mesmo quesito, continua liderando, mas apresentou uma pequena redução de 46% para 45%.

Chance de vitória no primeiro turno

Segundo a "Folha de São Paulo", o mercado financeiro, sistema que abrange as operações de compra e venda, por exemplo, de ações, câmbio, pedras preciosas e commodities (matérias-primas produzidas em larga escala que podem ser estocadas sem perda de qualidade, como soja, café, ouro e petróleo), já havia reagido com positividade nesta terça-feira (2), apresentando forte alta do Ibovespa e queda do dólar, pelo fato de a pesquisa do Ibope de segunda-feira (1) também ter mostrado crescimento de Jair Bolsonaro (atualmente com 31% das intenções de voto) em relação a Haddad (que possui 21%).

Alguns analistas deste mercado (profissionais especializados em finanças, investimentos e trâmites econômicos) já estão, inclusive, afirmando que existem chances, mesmo que sejam pouco plausíveis, de que o candidato do PSL vença a eleição sem que haja um segundo turno.

É o que aponta, por exemplo, um relatório da "Guide Investimentos", o qual indicou que a "tendência é Bolsonaro subir mais e ficar próximo da vitória no primeiro turno, embora isto ainda não seja o mais provável".

Em contrapartida, para a "XP Investimentos", Jair Bolsonaro tem chances de vencer o pleito no dia 7 de outubro se ele conseguir conquistar, até domingo, 70% dos votos que seriam de Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo), Alvaro Dias (Podemos) e Geraldo Alckmin.

A análise da XP também mostrou outra possibilidade: se Bolsonaro conseguir angariar 55% dos votos dos candidatos citados acima, e, além disso, atrair os eleitores de Marina Silva, também terá chances reais de vencer no primeiro turno.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Eleições
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!