Nesta quinta-feira (18), o jornal Folha de São Paulo, publicou uma matéria a qual revelava que um grupo de empresários, simpatizantes à candidatura de Jair Bolsonaro, haviam comprado pacotes de disparos de mensagens no WhatsApp, com conteúdo contra o Partido dos Trabalhadores, prática que é irregular, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral.

Durante a tarde, o candidato do PSL se defendeu das acusações, afirmando não ter nenhum controle sobre o que seus simpatizantes fazem e ainda colocou em dúvida se, de fato, foram pessoas favoráveis a ele que estão fazendo isso.

“Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso”, disse Bolsonaro, que afirmou saber que isso fere a legislação, mas que não tem como saber e tomar providências. “Pode ser gente até ligada à esquerda”, indagou o presidenciável em entrevista ao site “O Antagonista”.

De acordo com a reportagem da Folha, a compra desses pacotes se caracteriza como doação de campanha, o que é ilegal pela legislação eleitoral.

A reportagem revelou ainda que o valor total dos pacotes somam 12 milhões de reais. Entre as empresas que teriam comprado o pacote está a Havan, cujo proprietário tem mostrado simpatia pela candidatura de Jair Bolsonaro. A reportagem também diz que o grupo prepara uma grande ação para ocorrer na próxima semana, que antecede a votação de segundo turno.

Um pouco mais cedo, Bolsonaro usou as redes sociais para atacar o PT, afirmando que o partido não sabe o que é e também não aceita “apoio voluntário”.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

“Sempre fizeram política comprando consciências”, disparou o deputando federal que ainda lembrou que um ex-filiado do PSOL, partido que apoia Haddad no segundo turno, tentou lhe matar.

PT irá entrar com ação no TSE

Ao tomar ciência da manchete da Folha de São Paulo, o Partido dos Trabalhadores informou que ainda nesta quinta-feira (18), com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para pedir providências.

O PT ainda acusa a campanha de Bolsonaro de ter usado caixa 2, por não ter declarado o que eles chamam de “gastos milionários com a indústria de mentiras”.

PDT quer anular primeiro turno

O PDT é outro partido que tentará de alguma firma obter alguma vantagem eleitoral em cima da matéria da Folha de São Paulo. Por conta das denúncias de práticas ilícitas por parte da campanha de Jair Bolsonaro, o partido, que ficou em terceiro lugar no primeiro turno com Ciro Gomes, prepara uma ação para pedir à Justiça Eleitoral a nulidade das Eleições.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo