Na noite da última segunda-feira (08), primeiro dia após o fim do primeiro turno das eleições, Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) já entraram em ação na campanha eleitoral do segundo turno. Os candidatos participaram ao vivo do Jornal Nacional, apresentado por William Bonner e Renata Vasconcellos, da Rede Globo, respondendo perguntas enviadas por eleitores. Através de sorteio, o petista foi o primeiro a responder as perguntas.

Publicidade
Publicidade

Depoimento de Haddad sobre Dirceu e democracia

Ao ser questionado sobre a proposta de criação de uma nova constituinte, Haddad recuou e disse que não irá fazer uma “refundação democrática” conforme é dito em seu programa de governo e sim uma elaboração de um novo roteiro para o país através de emendas à Constituição.

“Nós revimos nosso posicionamento, iremos fazer as reformas por meio de emenda constitucional”, afirmou.

Publicidade

Segundo Haddad, a primeira reforma que seria feita em seu governo seria a tributária e posteriormente a bancária. A proposta do petista é isentar quem recebe até cinco salários mínimos do pagamento de tributações como o Imposto de Renda.

Haddad também comentou uma frase, dita dez dias atrás por José Dirceu: “Dentro do país, é uma questão de tempo para a gente tomar o poder.” O candidato petista afirmou que quer distância de seu correligionário e que ele não faz parte de sua campanha. Também disse que José Dirceu não fará parte de seu governo e que não concorda com a frase do ex-ministro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Curiosidades

Bolsonaro diz que será escravo da constituição e disse que falta "tato político" a Mourão

Jair Bolsonaro também foi questionado sobre a Constituição. Para o candidato, seu governo será “escravo da Constituição” e que a mesma não será alterada quando ele chegar ao poder. Na opinião do candidato, o Brasil precisa somente de um governo com autoridade e não um governo com autoritarismo. Em outro momento, ele afirmou que defende apenas a redução da maioridade penal e que isso sempre foi uma bandeira de suas campanhas.

Sobre o “autogolpe” afirmado por seu vice, o general Hamilton Mourão, em uma entrevista à Globo News, Bolsonaro disse que o seu vice deu uma canelada naquele dia e que não haverá um autogolpe quando assumir a presidência. Ainda completou dizendo que Mourão ainda não possui “tato político”, por isso fez aquelas declarações.

Assista na íntegra, as entrevistas de Fernando Haddad e de Jair Bolsonaro ao vivo no Jornal Nacional:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo