Dados detalhados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que mostram a evolução da apuração minuto a minuto, revelaram que o candidato Jair Bolsonaro em dois momentos da apuração, possuía mais de 50% dos votos válidos, o que naquele instante era suficiente para ser eleito em primeiro turno. No final da apuração, o deputado do PSL teve 46,03% dos votos, contra 29,27% de Fernando Haddad.

No primeiro dado parcial, às 17h02, Bolsonaro aparecia com 53,3% dos votos válidos, enquanto que Haddad, no primeiro momento da apuração, aparecia com 12,68% dos votos.

Publicidade
Publicidade

Minutos depois, o militar caiu um pouco, aparecendo com menos de 50%, porém voltou a ficar acima desse índice às 17h18 e seguiu se mantendo acima dessa linha até às 18h23, quando começou a perder fôlego, ao mesmo tempo em que o candidato petista ia ganhando terreno.

O curioso é que em alguns minutos, entre às 17h02 às 17h10, Ciro Gomes aparecia como segundo colocado. Haddad liderou a apuração nos dois primeiros minutos, quando haviam sido totalizados menos de três mil votos válidos. Bolsonaro atingiu o maior índice às 17h33 minutos quando alcançou 53,11% dos votos.

Larga na frente no segundo turno

Nesta quarta-feira (10), começaram a ser divulgadas as primeiras pesquisas de intenção de voto para presidente no segundo turno. Uma delas foi feita pelo Datafolha, que revelou ampla vantagem do candidato do PSL, que aparece com 58% dos votos válidos, contra 42% do petista Fernando Haddad. Nos votos totais, o placar aponta 49% x 36% a favor do candidato do PSL. Brancos e nulos totalizam 8% e 6% dos entrevistados não souberam responder.

Publicidade

Essa diferença de 13 pontos entre um candidato e outro na primeira pesquisa de intenção e votos para o segundo turno é a maior desde 2002. Naquela ocasião, a vantagem Luis Inácio Lula da Silva era de 26 pontos sobre José Serra (PSDB), a maior registrada até hoje.

Em 1989, primeiro pleito para presidente após o período de ditadura militar, Collor largou na frente de Lula com vantagem de nove pontos. Em 1994 e 1998, o tucano Fernando Henrique Cardoso venceu as duas Eleições em primeiro turno.

Já em 2006, Lula saiu na frente de Geraldo Alckmin (PSDB) com sete pontos de vantagem, mesma diferença de Dilma para Serra, em 2010. Na eleição passada foi registrada a menor diferença, com apenas dois pontos separando os dois candidatos, o que dentro da margem de erro caracteriza empate técnico.

Leia tudo