O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, questionou a morte de Rogério Inácio Villas, de 47 anos. O homem foi encontrado morto na mesma pensão em que o agressor de Bolsonaro, Adélio Bispo de Souza, se hospedou. O candidato do PSL foi vítima de um grave atentado que se motivou, provavelmente, por ideologias políticas. Na ocasião, Bolsonaro foi submetido a uma cirurgia de emergência. Ao que tudo indica, Adélio tinha o objetivo de matar o político. O atentado ocorreu em Juiz de Fora, Minas Gerais.

A Polícia Militar de MG foi acionada na noite desta última terça-feira, 16 de outubro. Os policiais notificaram o corpo de Rogério endurecido na pensão, localizada no bairro Santa Helena. O portal O Antagonista teve acesso com exclusividade ao boletim de ocorrência da PM. No entanto, Jair Bolsonaro utilizou as redes sociais para questionar a morte do homem.

Bolsonaro alerta sobre duas mortes e compara com caso Celso Daniel

Segundo o político do PSL seria "muita coincidência" ocorrer, logo após o atentado, duas mortes no mesmo local.

A primeira morte foi da dona da pensão, Aparecida Maria da Costa, que sofria de câncer. Veja a seguir o relato do político.

O comentário na rede social Twitter insinua que as duas mortes podem estar relacionadas.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro Eleições

Além do mais, Bolsonaro relembrou do caso Celso Daniel, que até hoje ninguém descobriu quem matou o ex-prefeito de Santo André, na Grande São Paulo. O caso de Celso Daniel levanta diversas hipóteses até porque diversas testemunhas do caso acabaram falecendo.

Boletim da Polícia

Segundo investigações da polícia, Rogério era usuário de drogas e estava há cerca de 3 meses na pensão. O corpo foi encontrado sem sinais de violência e recentemente familiares disseram que o homem estava com pneumonia e tinha histórico de problemas cardíacos.

Atentando contra Bolsonaro

O político aguarda um posicionamento da Polícia Federal sobre o atentado sofrido no dia 6 de setembro. Bolsonaro, na ocasião, chegou a dizer que a Polícia estaria tentando abafar o caso. No entanto, nesta última quarta-feira, 17 de outubro, o candidato à presidência afirmou que confia na instituição e acredita que chegarão a conclusão final sobre o crime.

Bolsonaro estava em passeata em Juiz de Fora quando foi surpreendido por uma facada. A polícia prendeu o agressor.

Eleições

Bolsonaro lidera as intenções de votos para o segundo turno e está com ampla vantagem perante o petista Fernando Haddad.

A votação ocorrerá no próximo dia 28 e será decisiva para o futuro do Brasil.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo