O candidato à Presidência da República e líder na apuração total dos votos em primeiro turno, Jair Messias Bolsonaro, do PSL, já define algumas estratégias voltadas para a campanha eleitoral no segundo turno.

Uma das principais estratégias traçadas por Jair Bolsonaro é visitar a cidade de Juiz de Fora, no Estado de Minas Gerais. Vale lembrar que a cidade mineira foi o local onde o presidenciável sofreu um atentato a faca, cometido por Adélio Bispo de Oliveira.

O criminoso encontra-se preso pela tentativa de homicídio.

Naquela ocasião, Bolsonaro encontrava-se em campanha aberta no município e teve que ser socorrido às pressas, após ser esfaqueado. O candidato à Presidência chegou a ficar internado na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora (MG). Mais tarde, foi transferido para São Paulo, onde foi tratado no Hospital Albert Einstein. O capitão da reserva chegou a ficar internado 23 dias, até que tivesse alta na capital paulista.

A ideia é que Bolsonaro faça campanha na cidade. O retorno é visto com preocupação pela equipe de segurança do presidenciável. Porém, a volta a Juiz de Fora é considerado estratégico para sua equipe de campanha. Se esse feito vier a se realizar, a ideia de Bolsonaro é demonstrar toda a gratidão e coragem à população do município. Nesta semana, o presidenciável do PSL deve receber uma visita da equipe médica que cuida de sua saúde, vinda do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Vale lembrar que, de acordo com seu cirurgião, Antonio Luiz de Vasconcelos Macedo, o candidato Jair Bolsonaro continuaria a ser monitorado em sua residência por um enfermeiro. O candidato passará por uma avaliação médica ainda para saber se pode fazer campanha nas ruas.

Segundo um dos filhos do candidato, Flávio Bolsonaro, "o anseio de seu pai é poder ir às ruas e abraçar o povo", porém, isso dependerá substancialmente da avaliação dos médicos.

Já se sabe que o contato "corpo a corpo" com eleitores está completamente descartado, de acordo com a decisão tomada pelos médicos e também em razão de sua própria segurança.

O capitão da reserva do Exército brasileiro terminou a disputa em primeiro turno com aproximadamente cinquenta milhões de votos, seguido de Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT), com cerca de trinta milhões de votos.

De acordo com a pontuação geral, em se tratando dos votos válidos, Bolsonaro alcançou cerca de 46% dos votos. Já Haddad ficou em segundo lugar, com 28%.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo