Não é apenas a campanha de Fernando Haddad que vem sofrendo com o chamado “fogo amigo”. Dentro do partido de Jair Bolsonaro também já existem algumas divergências na cúpula, envolvendo Hamilton Mourão. A última polêmica do candidato a vice da chapa foi ter posado ao lado de João Doria, candidato do PSDB ao governo de São Paulo, o que provocou mais descontentamento, com o chefe de campanha do PSL chegando a dizer ele só atrapalha.

“Mais uma vez o Mourão só atrapalha”, disse Major Olímpio, senador eleito pelo estado ao jornal Folha de São Paulo. “Não traz nenhum voto para o Bolsonaro e cada vez que abre a boca tira um punhado”, continuou.

Mesmo com Doria tentando de todas as formas, inclusive no horário eleitoral gratuito, ligar sua candidatura a de Bolsonaro, criando até o termo “Bolsodoria”, o PSL se posicionou pela neutralidade na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes e o próprio Major, antes mesmo da votação do primeiro turno, gravou um vídeo recusando qualquer apoio ou aliança vinda por parte do tucano.

O fato que irritou o senador eleito, que é ferrenho opositor do tucano, aconteceu nesta quarta-feira (17), quando o vice de Bolsonaro teve um encontro com Doria para manifestar seu apoio.

O ato político foi registrado em fotos e vídeos e propagado nas redes sociais. Ele, inclusive, aparece ao lado do empresário fazendo com uma das mãos o gesto de “acelera”, que é típico das campanhas de Doria.

Barrou visita

Outro fato que gerou desconforto entre o tucano e a cúpula do PSL aconteceu na semana passada, quando o candidato ao governo de São Paulo foi até o Rio de Janeiro tentar se encontrar com Bolsonaro, mas não foi recebido. Major Olímpio teria sido o interventor para que o encontro não ocorresse.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Fogo amigo

Mesmo tendo grande vantagem nas pesquisas e de ter quase definido a eleição ainda em primeiro turno, Jair Bolsonaro constantemente se vê diante do chamado “fogo amigo”, tendo que enfrentar as polêmicas declarações de seu vice, o General Hamilton Mourão.

A que gerou mais desconforto foi uma fala sobre o 13º salário, o que levou muito agente a apontar que um eventual governo de Bolsonaro iria extinguir o benefício, porém o mesmo é garantido pela Constituição.

Por conta da declaração, Bolsonaro usou as redes sociais para desmentir seu vice. “Criticá-lo (o 13º salário), além de uma ofensa a quem trabalha, confessa desconhecer a Constituição”, escreveu o candidato do PSL

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo