O candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo PSDB, João Doria, foi o convidado do programa Pânico, da rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira (15). Durante a entrevista, o tucano voltou a defender que a polícia aja de forma mais contundente e que em seu governo polícia irá “atirar para colocar no cemitério”. Ele disse ainda que a polícia não terá condescendência com bandido e que sua política de segurança pública será muito dura.

Doria explicou que em caso de reação dos bandidos a polícia irá atirar para imobilizar, mas se os bandidos continuarem efetuando disparos, os policiais atirarão para colocar no cemitério.

Publicidade
Publicidade

“Entre gente de bem e bandido, eu fico com as famílias”, disse o vencedor do primeiro turno, que ainda defendeu a redução da maioridade penal para 16 anos, projeto também defendido pelo candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, ao qual ele declarou abertamente apoio, mesmo antes seu partido ter tomado uma posição oficial, o que causou mal-estar no ninho tucano.

Essa não é a primeira vez que Doria dá a polêmica declaração. Antes mesmo do primeiro turno das Eleições, ele já havia dito que a partir de 1º de janeiro a polícia paulista iria atirar para matar.

Laranja do PT e pode pedir música

Na mesma entrevista, o ex-prefeito de São Paulo também criticou seus adversário na corrida pelo Palácio dos Bandeirantes. Sobre Márcio França, com o qual concorre no segundo turno, o ex-prefeito disse que o candidato do PSB representa a esquerda no estado e ainda o chamou de “laranja do PT”.

Com relação a Paulo Skaf, que perdeu a vaga no segundo turno na última hora de apuração, depois de ter figurado em segundo lugar, e às vezes até e primeiro, em todas as pesquisas eleitorais, Doria usou de ironia fazendo referência as três derrotas que o candidato do MBD teve nas vezes que concorreu ao governo de São Paulo.

Publicidade

“Já pode pedir música no Fantástico”, disse o tucano.

Ele também falou sobre Geraldo Alckmin, com qual teve uma discussão mais acalorada na semana passada. Sobre o ex-governador, o candidato disse que não o quer mal, mas que sua posição é de defender o Brasil do PT.

Largou na frente

De acordo com levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas e divulgado nesta segunda-feira (15), o candidato do PSDB João Doria saiu na frente na luta pelo segundo turno nas eleições para governador do estado de São Paulo.

De acordo com os dados, o tucano tem 52,3% dos votos válidos, contra 47,7% do atual governador. O estudo ouviu 2.002 eleitores entre os dias 10 e 14 de outubro e a margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Leia tudo