Na noite deste último domingo, 28, Jair Bolsonaro (PSL) foi confirmado como presidente da República a partir de 2019. O anúncio foi feito por volta das 20h, e não durou muito para que uma multidão invadisse a localidade ao redor do apartamento do vitorioso, no Rio de Janeiro. Em cima de um trio elétrico, Eduardo, filho de Bolsonaro, que também foi bem votado no primeiro turno, discursou palavras de ordem para a multidão e chegou a insinuar que mais pessoas estarão ao lado de Lula na prisão federal de Curitiba.

“Vai ter mais companhia para ele no ano que vem”, disse Eduardo Bolsonaro, insinuando que o ex-presidente Lula não estará mais sozinho na prisão no próximo ano.

De acordo com o que o próprio Bolsonaro disse na semana passada, em vídeo, o líder petista em breve estaria na companhia de Lindbergh Farias (PT) e Haddad, candidato à presidência da República também pelo PT. Ambos estão respondendo a alguns processos e não foram eleitos nas Eleições 2018.

“Aguarde, o Haddad vai chegar aí também, mas não será para visitá-lo não”, tinha dito o presidente eleito Jair Bolsonaro. Ele acrescentou que a ida de Lindbergh e Haddad para Curitiba seria a chegada de mais dois presidiários do PT para fazer companhia ao ex-presidente.

Eduardo Bolsonaro seguiu na noite deste domingo na mesma linha de pensamento e inflou a multidão com palavras de ordem e insinuação de prisão dos líderes petistas.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Lula

Próxima ao trio elétrico, a multidão apoiou as palavras de Eduardo Bolsonaro e carregavam o ‘Pixuleco’, um boneco inflável do ex-presidente Lula com roupa de presidiário. "A nossa bandeira jamais será vermelha”, provocou Eduardo Bolsonaro. Ele ainda disse que eles são chamados de misóginos, fascistas e homofóbicos, mas só não são chamados de burros.

Jair Bolsonaro (PSL) é o 38º presidente da República.

Com sua vitória, interrompeu um ciclo de vitórias do PT que vinha desde 2002 (2002, 2006, 2010 e 2014). O candidato tocou em assuntos polêmicos e até recebeu um golpe de faca em 6 de setembro, durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). Após a confirmação da vitória, Jair Bolsonaro fez um discurso de união através de suas redes sociais e afirmou que vai buscar abrir o mercado brasileiro e negociar com as grandes potências mundiais, desde que não sejam ditaduras.

Bolsonaro foi eleito neste domingo, 28, com 55,13% dos votos válidos (57.797.466). No primeiro turno, ele teve 46,03% dos votos válidos (49.276.990).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo